Última edição Edição 263 March 2017 Assine

Ulisses Cardinot

Após conquistar o sucesso nos negócios, o jovem empreendedor renova ensino bilíngue no país com a proposta da International School

Carla Kempinski 11/05/2016
Carla Kempinski 11/05/2016

Com apenas 36 anos Ulisses Cardinot é especialista em Educação, com formação em Pedagogia e especialização em Idiomas e Literaturas Estrangeiras pela Andrews University, adepto das avançadas técnicas de gestão, com base nos conhecimentos adquiridos em MBA de Economia e Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas.

Fundou o Grupo Expert, pool de empresas dos segmentos de educação e tecnologia que atende grandes redes de escolas e universidades em projetos e soluções completas para montagem de laboratórios, incluindo lousas digitais e conteúdo educacional. Dispõe de filiais no Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo. O executivo também empreendeu no segmento de educação internacional e hoje é um dos sócios da Life Intercâmbios. Além disso, Ulisses é vice-diretor do Externato Campista e foi coordenador da escola infantil Pequeno Polegar. No estado do Espirito Santo, é franqueador Master da Prepara Cursos Profissionalizantes, eleita a melhor rede de franquias do Brasil no setor de ensino.

O profundo conhecimento no mercado educacional foi fundamental para que o executivo enxergasse a possibilidade de empreender em um ramo ainda pouco explorado no Brasil: o bilinguismo. Em 2015, Ulisses criou a International School, empresa desenvolvedora do primeiro programa de ensino bilíngue do mundo a utilizar kits LEGO® Education. Lançada no mercado brasileiro há menos de um ano, a International School teve grande aceitação por parte das escolas e o programa bilíngue já atende mais de nove mil alunos em todo território nacional.

Ulisses comemora o crescimento de 1.700% no número de alunos que passaram a utilizar em 2016, e um incremento de 485% no número de escolas que apostaram na inovadora proposta educativa. A expectativa é triplicar esse volume em 2017, atendendo mais de 30 mil estudantes em todo o país.

Sua expertise na gestão educacional foi reconhecida com premiações do Sebrae de Melhor Escola do Estado do Rio de Janeiro e uma das 10 Melhores do Brasil. Recebeu também MPE Brasil, prêmio de competitividade do Sebrae.

Qual é a proposta inovadora do ensino bilíngue que você propõe?

Ulisses Cardinot: A International School chega para mudar a maneira das escolas ensinarem inglês. Percebemos que por muitos anos aprender inglês foi um tabu dentro das instituições de ensino. Por isso nós temos um mercado tão grande de cursinhos e empresas e, inclusive, nos últimos anos, grandes multinacionais vindo para o Brasil, olhando para esse mercado, movimentando grandes cifras. Esse cenário sempre me incomodou, pois nasci nesse universo de escola, por conta da minha família.

Sempre me incomodou o fato dos alunos dizerem que não falam inglês porque aprenderam o inglês básico da escola. E, hoje, as famílias precisam investir em um curso de língua inglesa, além do investimento destinado à escola tradicional. Essa é uma cultura brasileira, temos que pagar a escola, o cursinho, a atividade extracurricular, natação, entre outros, enquanto que em outros países, na Europa, por exemplo, o aluno tem a oportunidade de fazer todas as atividades dentro da escola. Até mesmo em Portugal, o aluno possui no mínimo de 5 a 10 horas de inglês, então ele sai falando um segundo idioma.

O ensino bilingue ainda é muito restrito às classes mais altas, de que maneira a International School pretende mudar esse cenário¿

Ulisses Cardinot : Eu digo que nós viemos para ajudar a mudar o cenário brasileiro. E meu sonho é que daqui há cinco, dez anos, olhar para trás e saber que o aluno, em qualquer escola que estiver, particular ou pública, vai aprender inglês e sair com um nível interessante, uma certificação, um nível FCE, por exemplo, que é a certificação de Cambridge que nós trabalhamos.

Meu sonho é: primeiro oferecer essa oportunidade para qualquer escola, não olhando apenas para uma classe; e o aluno aprender inglês conectado ao currículo dele. Desta forma ele ficará na escola desde um aninho, dois aninhos de idade, até o ensino médio, e terá mais de uma década de contato com a língua e não apenas como um curso, mas em um modelo onde o aluno, através do inglês, também aprenda princípios, valores, conheça um pouco de artes, aperfeiçoe o aprendizado de outras disciplinas como da matemática, ciência. Nossa metodologia não substitui as matérias e sim utiliza seus conceitos na proposta pedagógica. O nosso DNA é realmente conectar o aluno dentro da escola e a essa segunda língua por meio de interdisciplinaridade.

Por que escolher investir em um negócio ligado à língua inglesa¿

Ulisses Cardinot: Escolhemos o inglês por acreditarmos que essa língua é universal, abre novas perspectivas e caminhos, além de abrir a mente de quem está aprendendo. Se você for viajar, estiver em um passeio e dominar o inglês, seu passeio será totalmente diferente. Se você trabalha em uma empresa e domina o inglês, sua condição dentro na companhia certamente será melhor. É isso que eu busco com a International School, pois sabemos que daqui cinco,dez anos, o inglês será fundamental para esse aluno. Imagina daqui alguns anos, essa criança chegando ao mercado de trabalho com inglês fluente, será um grande diferencial. E queremos proporcionar essa oportunidade de forma democrática. Por meio da International School, nós chegamos desde cidades remotas, como Santarém, Picos no Piauí até capitais importantes, como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, entre outras. Porém, também atuamos em municípios menores como Campos e Macaé, no Rio de Janeiro

A que você deve esse espírito empreendedor? Muita persistência, sorte, influência de alguém?

Ulisses Cardinot: Eu tive muitas influências. Meu pai é uma influência muito forte de empreendedor, de lutador. Ele saiu da zona rural de uma cidade muito pequena, foi para Campos dos Goytacazes (RJ) fazer faculdade de Pedagogia e abriu uma escola. Saiu do nada e montou uma escola de renome, com cerca de dois mil alunos. Isso sempre me moveu muito, de fazer a diferença nas famílias, na vida das pessoas. Eu quero mudar a vida também, mas em uma escala ainda maior, não como orgulho, mas como objetivo de vida. A educação muda as pessoas, muda um país e esse é meu sonho. Meu sonho é fazer a diferença na vida das famílias, na vida das escolas. É isso que me move.

E por que o ramo da educação?

Ulisses Cardinot: Porque eu nasci em escola. Quando criança, eu morei por muito tempo dentro da escola, literalmente. Meu pai, quando abriu a escola, fez a casa dele dentro do mesmo terreno. Acordava e dormia pensando naquilo ali, pensando em fazer diferente, em cada dia fazer melhor. Então, não conseguiria não fazer algo ligado à educação.

Como começou sua carreira empreendedora?

Ulisses Cardinot: Meu pai me mandou, com 12 anos, estudar fora do país. Eu estudei em Michigan e morei dentro da Universidade Andrews, que hoje é uma de nossas parceiras com a questão do High School, fato que me dá muito orgulho.

A experiência fora do país abriu muito a minha mente e aprender o inglês lá foi muito importante. Meu lado empreendedor sempre foi muito aguçado. Quando voltei para o Brasil tentei algumas coisas e até em áreas que não tinham nada a ver com educação. Em 1999, eu tinha acabado de voltar, com 17 anos. E eu vi uma oportunidade grande no mercado, que eram os cursos de informática, pois sempre gostei muito da área de tecnologia. Criei uma empresa de informática chamada Expert Informática, que era mais que um curso, era uma escola, com aquela pegada de escola, para que o aluno não se sentisse indo para um cursinho qualquer e que pudesse ter contato com professores de forma diferente. Nós revolucionamos essa proposta. Hoje eu posso dizer com orgulho que a Expert Informática, que durou até 2012, foi responsável pela formação de mais de 20 mil jovens e adultos nessa área.

Em 2012, quando me direcionei para a questão do bilinguismo, não dava para continuar com a escola de informática, então decidi encerrar esse ciclo. O foco é muito importante para alcançar o sucesso com qualidade. Além disso, eu também fui um dos primeiros mantenedores de um pólo de educação à distância, de ensino superior com a Unisa (Universidade de Santo Amaro), em São Paulo. Eu tive várias frentes de trabalho, diversas oportunidades de conhecimento para me tornar empreendedor.

Com 17 anos, em 1999, eu abri a Expert. Já em 2006, a escola do meu pai estava crescendo e precisávamos focar em um projeto de crescimento para a escola, de fidelização de alunos e de desenvolvimento de novos produtos que pudessem fortalecer a marca da escola. Assim, abrimos a segunda escola do grupo, o Pequeno Polegar, que é específica para a educação infantil, com vários diferenciais e uma metodologia de aprendizado diferente, totalmente sociointeracionista. Essa metodologia trabalha por meio de projetos que envolvem cidadania. Trabalhamos uma proposta onde a escola oferece apoio de uma equipe multidisciplinar, como médico, nutricionista, psicólogo pra família, para o aluno, alimentação saudável, totalmente ovolactovegetariano, no qual o aluno não tem nenhum contato com carne. Criamos uma proposta bem diferente para uma escola de educação infantil.

Em 2006 nós iniciamos o Pequeno Polegar e começamos a pensar em diferenciais para o colégio. Então iniciei esse sonho de transformar, trazer algo novo para dentro da escola, torná-la uma escola bilíngue. Em 2009, montamos um time para realmente desenvolver esse projeto para a escola. A International School nasceu por uma necessidade do mercado, para atender a nossa escola. Depois de analisar vários materiais, fazer algumas parcerias, percebi que precisávamos fazer algo que o mercado não tinha. Nossa equipe foi para o exterior, Europa, Estados Unidos, onde firmamos parcerias com a Griggs e a Universidade Andrews para desenvolver um modelo de material, um modelo de internacionalização. Por meio da parceria com a Griggs, trouxemos a Life Intercâmbiospara o Brasil.

Começamos em 2010 com a Life e hoje já levamos mais de 5 mil alunos para fora do país, com essa proposta de imersão cultural e linguística. Cerca de 95% do nosso mercado são levar esses alunos para passar 15 dias no exterior e fazer uma imersão, conhecendo um pouco da cultura, indo a museus, para conhecer a história daquela região.

Meu foco hoje é mudar a forma de pensar, mudar a maneira das escolas ensinarem inglês. É um sonho, é uma forma de fazer a diferença nesse país. Tenho uma meta agressiva de crescimento, mas não crescer por crescer, sempre mantendo a qualidade do que me propus a fazer.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.