Planejar é a alma do negócio

Por Rodrigo Geammal 16/08/2012
Por Rodrigo Geammal 16/08/2012

Hoje em dia vejo muitas pessoas com o desejo de empreender. Criam aquela imagem de que ser chefe é sinônimo de vida fácil, com uma rotina parecida com algo como acordar no seu horário, tomar café com a família, chegar ao trabalho e encontrar todos os colaboradores ativamente realizando as suas tarefas, fazer algumas reuniões no dia, sair no horário certo para a academia e chegar à noite para o jantar com toda a família na mesa, pontualmente. Não quero ser desanimador, mas “ah, sonho meu!”. Ser empreendedor significa viver uma vida completamente diferente desta escrita pelo meu último sonho.

Você trabalha muito mais do que os colaboradores e, além disso, sua responsabilidade é muito maior. Agora este desafio se torna ainda mais importante se você não investiu o suficiente para planejar o seu negócio e os seus objetivos. Planejamento é a palavra certa para buscarmos o sucesso da nossa empresa. Meu objetivo é iniciar a nossa conversa fazendo a seguinte pergunta: “Você tem um planejamento sobre o seu negócio?”. Esta é uma excelente questão a ser respondida pelo empreendedor.

Um planejamento estratégico, bem elaborado, primeiramente, deve responder às perguntas referentes ao segmento que permeia o nosso universo de trabalho, entre eles: concorrentes, investimentos e tamanho do mercado. Neste sentido, não existe uma estrutura universal que poderá ser aplicada. O empresário deve conhecer muito bem o setor em que vai investir, levando em consideração os riscos, oportunidades, seus pontos fortes – e fracos. Caso contrário, assumirá um alto risco de insucesso.

Converso com muitas pessoas no meu dia a dia e o diálogo com todas é uma excelente fonte de informação para organizar e planejar suas ideias. Para fazer uma analogia, ressalto que, recentemente, em minha última visita profissional ao Rio de Janeiro peguei um carro executivo para ir à reunião agendada. Reparei que o motorista tinha um rádio e três celulares que tocavam sem parar. E, enquanto observava, escutava a mesma conversa: “Zero dois, segue para Ipanema! Zero três, segue para a Barra!”. Aqueles códigos me deixaram curioso e perguntei ao motorista: “Meu irmão, não estou sendo sequestrado?” (brincadeira). O motorista, com aquele ar simpático dos cariocas, respondeu: “Doutor, esse é o meu dia a dia! Era funcionário de uma multinacional, me aposentei e não queria ficar em casa à toa! Comprei um carro e comecei a fazer serviço para a vizinhança. Hoje tenho 15 carros próprios na frota! Mas olhe só: trabalho de 12 a 14 horas por dia, não é fácil, não”.

Portanto, aqui está um excelente conto para ilustrar a minha mensagem. Uma pessoa começar um modelo de negócio com um carro e, com muita luta, além de visão empreendedora, adquirir 15 unidades para formar uma frota significa que o negócio dela cresceu? Para muitos pode ser que sim. Para outros pode ser que não. A resposta certa está no desenvolvimento ou não de um belo planejamento. Será que ele pensou em detalhes, como, por exemplo, na locação de uma pequena sala com uma colaboradora para atender as ligações dos clientes? Na minha visão estratégica, dirigir atendendo cliente a todo momento não é certo e esta prática resulta em multa, além do risco de acidente.

Ter aumentado a frota significa aumentar os seus custos de manutenção, seguro, combustíveis, telefonia, entre outros. Todos estes itens devem estar na planilha financeira para calcular o valor certo a ser cobrado por suas viagens. Se este motorista não teve este tipo de cuidado em planejar o seu crescimento, com toda certeza ele está deixando de ganhar e até mesmo deve estar assumindo prejuízos invisíveis, que aparecem apenas quando nos deparamos com a “quebra” da empresa ou com o fracasso do projeto.

Minha recomendação, então, é o cuidado. Invista no planejamento de todos os seus passos como empreendedor. Fazer um negócio dar certo dá muito mais trabalho do que pensamos e o planejamento existe como uma ferramenta para nos ajudar. Agora, seguem algumas dicas rápidas para você elaborar o seu planejamento:

1) Você conhece o serviço ou produto que vai comercializar?

2) Você conhece os pontos fortes e fracos do produto ou serviço?

3) Quem são os seus concorrentes?

4) Você precisa saber que além do dinheiro que investiu precisa ter uma verba considerável no banco para o caixa.

5) Qual o perfil do meu cliente?

6) Quais são as prioridades de investimento?

7) Quais serão os meus diferenciais?

8) Qual a minha meta em cinco anos?

9) Tenho metodologia para analisar os meus custos e receitas?

10) Uma das mais importantes: conheço todos os impostos que devo recolher?

Boa sorte e tenha muita disciplina, determinação e execute seu planejamento o ano todo!

Autor

  • Rodrigo Geammal

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.