Sociedade e casamento

Por Rodrigo Geammal 15/05/2014
Por Rodrigo Geammal 15/05/2014

Caro(a) leitor(a), quando começamos a empreender, uma das primeiras atividades a refletir é sobre o que temos de pontos positivos a melhorar em nosso perfil profissional. Hoje em dia, montar um modelo de negócio exige muitas competências do empreendedor e, com toda certeza, não somos completos. Eu brinco no meu dia a dia com um pensamento de que existem profissionais que vendem e outros que entregam. Neste sentido, uma das formas de superarmos as nossas dificuldades e complementar para o sucesso da empresa é formar sociedade. É preciso uma seleta metodologia para escolher o sócio ideal e avaliar se este ‘casamento’ dará certo. Agora, você já imaginou se o seu sócio fosse a sua esposa ou marido? Este tema é muito interessante! Vou aproveitar este espaço para contar um pouco da minha história, já que a minha sócia é a minha mulher, a Fabiana.

Quando montei a Elos Cross Marketing, sabia do meu grande potencial comercial. Sempre fui muito bom em me relacionar com pessoas e comercializar ideias e projetos. Mas também sabia das minhas dificuldades em lidar com financeiro e gestão operacional para entregar aquilo que vendia. Há quatro anos, a Fabiana trabalhava no mercado publicitário quando me surgiu a ideia de convidá-la para trabalhar comigo na agência. Foi nesta mesma época que subimos ao altar e viajávamos de lua de mel para aproveitar a vida de casados. No retorno de nossa viagem, sentamos e decidimos optar pela nossa sociedade. No primeiro momento fiquei muito feliz, pois agora tinha ao meu lado alguém que confiava e tinha uma capacidade profissional que completava a minha. Neste momento, eu senti uma confiança que a nossa agência cresceria! Bom, no papel foi excelente, mas, na prática, quase nos separamos nos seis meses seguintes. Na verdade, sem muita experiência, decidimos na emoção e cometemos um grande erro, não definir os 10 mandamentos da sociedade, ou seja, as regras! Isso é fundamental no momento que decidimos ter um sócio e, principalmente, quando os sócios são casados. Por falta de experiência neste assunto, misturamos a relação pessoal com a profissional e quase que nosso casamento chegou ao fim.

Se você decidir ter sócio, seja ele(a) um(a) amigo(a) ou marido ou esposa, existem algumas dicas que a experiência nos ajuda a aplicar para o sucesso desta união. Tome nota:

1. Decida em conjunto as regras desta união empresarial, tais como: pelo o que cada um irá ser responsável; o que não podem fazer no trabalho; o respeito pelas decisões tomadas; dentre muitas outras.

2. Evitar falar de trabalho na vida social.

3. Escrever e falar com o mesmo cuidado que praticamos com os colaboradores.

4. Casal rico é casal que decide junto a vida financeira.

5. Não trabalhar no mesmo espaço físico. Cada um em seu ambiente para preservar a sua privacidade.

Todas estas dicas ajudam a manter uma relação saudável com o sócio e, principalmente, se ele faz parte da vida particular! Sociedade é um tema muito complexo e certamente você já deve ter ouvido histórias tristes de separações, perdas financeiras, fim de amizades e outras tantas. Mas pense também que há casos que deram certo e são grandes sucessos na vida empresarial. Basta ter disciplina, seguir as regras e ter muita paciência para entender o próximo. Essa é a magia da vida que está presente no cenário dos empreendedores de sucesso. Boa sorte!

Autor

  • Rodrigo Geammal

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.