Última edição Edição 262 January 2017 Assine

5 características do bom líder

Conheça as cinco atitudes que definem a boa liderança

Redação 09/08/2016
Redação 09/08/2016

Nos últimos anos, comportamentos impróprios têm sido recorrentes tanto no setor público como no privado – em praticamente todos os países do mundo, incluindo o Brasil. Esse cenário acende um alerta em todas as corporações e nos provoca a reflexão de quais seriam as características fundamentais aos bons líderes.

Com base em trabalhos estratégicos desenvolvidos para as maiores empresas do mundo, a consultoria McKinsey identifica qualidades fundamentais da boa liderança que contribuem para saúde organizacional e financeira das companhias.

1- Desenvolver pessoas. A forma mais eficiente de se fazer isso é promover uma mudança de foco: combinar a preocupação sobre o que os líderes sabem fazer – foco dos processos tradicionais de recrutamento e desenvolvimento – com uma ênfase muito maior em quem eles realmente são e quais as qualidades intrínsecas que devem ter. Isso não significa apenas se livrar das maçãs podres, mas contratar, desenvolver e promover pessoas de alto caráter.

2- Ter resiliência. A boa liderança sabe priorizar questões, mostrando sensibilidade para detectar zonas cinzentas, tomar decisões éticas no dia a dia e ter a coragem de fazer o que é certo, independentemente do custo pessoal. São pessoas que têm um sentido de propósito e uma resiliência fora do comum. Não se curvam à primeira dificuldade, não desistem nem aceitam as soluções fáceis.

3- Cultivar determinação e confiabilidade. A esse conjunto de habilidades, soma-se a determinação de viver de forma ética, demonstrada ao ter humildade para encarar os desafios, se conduzir de acordo com seus valores e apresentar responsabilidade, confiabilidade, transparência, dignidade, senso de justiça e cidadania.  Assim como o comportamento ético não é algo teórico, os resultados de adotá-lo ou não também não são. Metade das maiores falências da história podem ser rastreadas a falhas de caráter. Por outro lado, olhando pelo viés positivo, as empresas cuja atuação é considerada verdadeiramente ética veem suas ações negociadas com prêmio médio de 54% em relação ao índice S&P nos últimos 10 anos.

4- Fazer o que pregam. O elemento que talvez seja o mais importante, e que vemos em muitas organizações e líderes, é que fazem o que pregam. São exemplos vivos e sustentam sua liderança em valores como um meio de inspirar outras pessoas na organização por sua consciência, pensamento e ações.

5- Aliar competência e caráter. Grandes líderes e organizações entendem que sustentar a excelência no longo prazo envolve tanto competência como caráter. Eles reconhecem que, embora sejam necessários anos para se construir uma reputação sólida, minutos são suficientes para destruí-la.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.