95% dos empresários querem produzir mais

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

A Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação – Quesitos Especiais, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), revela que 74% dos empresários não enfrentam dificuldades para investir e 95% planejam ampliar investimentos. É o maior índice desde 1998. Das 845 empresas consultadas, 73% informaram não ter problemas para atender às encomendas, índice superior aos 69% do estudo de janeiro e fevereiro.

A pesquisa indicou que o principal motivo que leva as empresas a investir é a intenção de aumentar a capacidade produtiva, que subiu de 47%, em abril de 2007, para 56% no mesmo mês deste ano. Em segundo lugar, vem a meta de elevar a eficiência das fábricas. O avanço da demanda interna, motivado, em boa parte, pelo aumento da renda das classes C, D e E, fez com que o setor de bens de consumo elevasse a intenção de expandir a capacidade produtiva de 43% para 62% no período.

No caso dos bens de capital, houve aumento na intenção de elevar a capacidade de produção de 44%, em abril do ano passado, para 55% no mesmo mês de 2008, motivado, sobretudo, pela trajetória ascendente dos investimentos, cujo ritmo de expansão supera o do Produto Interno Bruto (PIB) há três anos.

A disposição de aumento dos investimentos foi exposta pelas empresas de materiais de construção. Suas intenções aumentaram de 41% para 53%, o que também foi acompanhado pelo setor de bens intermediários, de 50% para 59%.

"A manifestação dos empresários de elevar os investimentos é um fator relevante, que indica que há uma tendência de acomodação do nível de utilização da capacidade instalada das indústrias no médio prazo", comentou o vice-diretor do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, Vagner Ardeo, que apresentou a sondagem, ontem, em São Paulo.

Nesse contexto, setores que apresentam uso da capacidade acima da média histórica, e que seriam candidatos a enfrentar gargalos produtivos, elevaram de forma expressiva, em um ano, a intenção de expandir a capacidade instalada para atender à demanda. No caso de materiais de transporte, cuja média histórica para esse índice é de 82% – mas atingiu 93,2% em abril -, as manifestações de elevar o nível de produção avançaram de 38% em abril de 2007 para 88% em igual mês deste ano.

No setor metalúrgico, que apresentou, há dois meses, um nível de uso da capacidade de 92,5%, acima da média de 90,5% dos últimos anos, as intenções de aumentar a capacidade aumentaram de 59%, para 67%.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.