Apenas 20% dos jovens brasileiros têm interesse em pequenas empresas

redacao 19/02/2014
redacao 19/02/2014

Apesar delas oferecerem 88,3% dos empregos formais gerados no país, a maioria ainda prefere esperar por uma colocação em grandes companhias

No momento de ingressar no mercado de trabalho, qual a melhor opção? Ir em busca de grandes empresas ou galgar seu lugar em corporações de pequeno porte? Segundo uma pesquisa realizada pelo Nube, mais de 50% prefere uma colocação em renomadas e gigantes organizações.

O estudo foi desenvolvido entre os dias 20 e 31 de janeiro, com 17.819 jovens entre 15 e 26 anos. Diante da pergunta “Onde você preferiria trabalhar ou estagiar?”, os votantes tinham quatro opções de resposta: “Grande empresa”, “Multinacional”, “Órgãos públicos” e “Pequena ou média empresa”. A primeira e segunda alternativas somaram 58,9%, ou seja, 10.502 votos.

“Muitos estudantes sonham com altos cargos e salários, por isso almejam atuar em famosas organizações. Não à toa, a escolha por ‘Grande empresa’ foi a mais desejada, com 34,4%, seguida por ‘Multinacionais’, com 24,5%”, explica Rafaela Gonçalves, analista de treinamento do Nube. No entanto, segundo a especialista, focar apenas nesse tipo de corporação pode limitar a oportunidade de estágio e prejudicar a inserção no mundo corporativo.

“Estar nessas companhias é realmente bom para o currículo, mas a obsessão por tais vagas pode ocasionar a perda de grandes chances. Afinal, em quantos outros empreendimentos muito bons não seria possível atuar?”, questiona Rafaela, ressaltando o fato de ser fundamental não perder oportunidades no início da carreira.

Em terceiro lugar, ficou “Órgãos públicos”, com 21,06%. Escolha ideal para quem deseja muito aprendizado durante um estágio, pois em repartições públicas o colaborador pode aprender diversas atividades. “É muito bom termos pessoas interessadas em atuar no ramo. Esse tipo de trabalho exige muito empenho, as vagas são boas e existe carência de mão de obra qualificada”, afirma a analista. Fora isso, quem consegue passar nos concursos e se torna efetivo, ainda tem a vantagem da alta remuneração e estabilidade!

A última opção obteve 20,01%. Mesmo com um bom índice de votantes, 3.564, muitos estudantes desconhecem os benefícios dessas vagas. Só em 2013, de acordo com dados do Sebrae, com base em informações do Ministério do Trabalho, as micro e pequenas empresas foram responsáveis por 88,3% dos novos empregos formais gerados no país. Além de serem as mais propícias para quem procura possibilidade de crescimento, ainda oferecem acesso fácil aos gestores e grandes chances de efetivação e promoção. “Mostrando um bom desempenho, a retenção dos colaboradores é mais viável. Sem falar na competitividade ser bem menor”, enfatiza a especialista. “Começar pela média e pequena empresa prepara para novos desafios. Pense nisso!”, conclui.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.