Apenas 6,3% das cidades brasileiras possuem shoppings centers

redacao 16/07/2013
redacao 16/07/2013

O mercado de shopping centers ainda tem muito espaço para crescimento no País, é o que aponta a pesquisa Munic 2012, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). De acordo com o levantamento, apenas 6,3% dos municípios brasileiros contam com esse tipo de empreendimento. Ainda que a expectativa de inaugurações até o final deste ano seja alta comparada aos anos anteriores, pois até o final de 2013 estão previstos 35 novos complexos de acordo com a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers), o número continua baixo diante das oportunidades que o Brasil oferece.             

O estudo também indica que as cidades com mais de 500 mil habitantes concentram a maior parte dos empreendimentos, pois 92% delas já contam com pelo menos um centro de compras.  O executivo Felipe Fulcher, sócio e presidente da 5R Shopping Centers – empresa especializada na prospecção e administração de complexos – explica que a população é um dos principais indícios para nortear os investimentos em determinado município. “Nosso modelo de negócios é focado em cidades que tenham acima de 200 mil habitantes”, comenta.

O Sudeste apresenta o maior percentual de participação: 9,5% das cidades na região dispõem desses complexos, seguido respectivamente pelo Sul com 7,1% e pelo Centro Oeste com 6%. Já os dados do Nordeste e do Norte revelam porque têm atraído tantas empresas do segmento, pois apenas 3,5% e 3,1% das cidades nesses locais, respectivamente, contam com shoppings. “O crescimento da economia e a escassez de empreendimentos para atender a população têm motivado vários lançamentos nessas duas regiões”, explica Fulcher.

 A 5R Shopping Centers é uma das companhias que está apostando no crescimento desse mercado. A empresa está desenvolvendo nove empreendimentos, que somam R$ 1,8 bilhão em investimentos. “O número de Área Bruta Locável (ABL) para cada mil habitantes no Brasil é muito pequeno, mesmo quando comparado ao de países da América Latina, como o México”, afirma Fulcher. A meta da empresa é chegar a 15 projetos nos próximos cinco anos. 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.