Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Aplicativo transforma celular em conta digital sem custo para usuário

Redação 22/03/2016
Redação 22/03/2016

Celcoin é uma iniciativa inédita de empreendedores brasileiros e do Vale do Silício que investem em fintechs. Com o APP, é possível pagar contas, enviar dinheiro para outros celulares, fazer recargas, receber trocos eletrônicos, comprar games, entre outras facilidades.

Acaba de ser lançado no Brasil o Celcoin, um aplicativo que transforma um número de celular em uma conta digital, sem vínculo com bancos ou com operadoras de cartão, e sem cobrança de mensalidade e taxas de adesão. Com o app o usuário pode fazer transações financeiras de qualquer lugar e a qualquer hora com poucos cliques. Dá para transferir dinheiro para outros aparelhos, mesmo que não sejam registrados; pagar contas, recarregar celulares de qualquer operadora, comprar créditos para jogos, receber trocos eletrônicos e sacar valores para contas bancárias de mesma titularidade.

O aplicativo nasceu da iniciativa de empresários brasileiros com mais de 20 anos de experiência em tecnologia e finanças, e de empreendedores do Vale do Silício que investem em fintechs em diversos países.

Os sócios estão de olho nos desbancarizados que, segundo o IBGE, somam cerca de 55 milhões de brasileiros e possuem renda anual de R$ 665 bilhões de reais. Os sócios também acreditam que o público que não está satisfeito com os serviços financeiros disponíveis, especialmente os mais jovens, pode optar pelo Celcoin. Entre 2013 e 2015, segundo levantamento da Proteste, as tarifas bancárias subiram 169%, o que equivale a 8,6 vezes o aumento do IPCA.

O grande objetivo do grupo é democratizar de forma definitiva o acesso e melhorar a qualidade dos serviços financeiros no país. “Acompanhamos de perto a evolução de projetos de mobile money e e-wallets em outros países emergentes, como o M-PESA, que é usado por mais da metade da população no Quênia, e o Paytm na Índia, que já possui mais de 100 milhões de clientes ativos. No Brasil, acreditamos que esse segmento ainda precisa ser preenchido”, explica Marcelo França, CEO da Celcoin e fundador da empresa.

Marcelo tem passagens pelo Banco Bozano Simonsen, Corretora Investshop.com, Resource IT, e era responsável pela área de Soluções do Lemon Bank, banco que operava exclusivamente por meio de correspondentes bancários, e que foi adquirido pelo Banco do Brasil em 2009. Além dele, também investiram no projeto e são sócios: Michael Esrubilsky, ex-CEO do Lemon Bank; e Wences Casares, CEO da Xapo e membro do Board do Paypal.

Para utilizar o Celcoin, basta baixar o App, carregar o saldo em sua conta por meio de boleto ou transferência, TED ou DOC, e começar a fazer transações financeiras. Não há custo mensal, nem taxa de adesão, nem qualquer burocracia para abrir a conta digital. É necessário apenas ter um telefone. Celcoin também pode ser usado pela web e, algumas transações, como a consulta de saldo, recarga e encerramento da conta, por SMS.

Um fator que também vem contribuindo de forma inesperada para a rápida adesão é a redução drástica na circulação de moedas e cédulas de baixo valor. Com a falta de troco, muitos lojistas e autônomos vem usando Celcoin para dar o troco eletrônico direto no celular dos clientes.

Celcoin conta com uma rede de 460 pontos onde podem ser realizados saques em dinheiro. Mais de 29 mil clientes já fizeram ou receberam ao menos um depósito. Com o lançamento e divulgação, os sócios esperam chegar a 300.000 clientes ativos até o final do ano.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.