Arquiteta fala sobre a importância da arquitetura comercial para uma franquia

A arquiteta Marina Debasa, sócia do escritório Arquitetude, destaca que um projeto de arquitetura comercial precisa ter elementos personalizados e outros que podem ser adaptados

Redação 21/02/2018
Fachada de loja de franquia em um shopping
Redação 21/02/2018

Hoje em dia, muitas lojas fazem parte de franquias, o que torna importante que todas tenham uma aparência padrão, permitindo ao cliente uma identificação imediata. Neste sentido, um projeto de arquitetura comercial é fundamental para que este visual siga sempre os mesmos requisitos.

A arquiteta Marina Debasa, sócia do escritório Arquitetude e especialista em arquitetura comercial explica que, geralmente, ao adquirir uma franquia, o comerciante passa não só a usar o nome da marca, como também se compromete a manter um certo padrão no estabelecimento para que seja possível reconhecer a loja como pertencente a uma determinada rede.

“É este visual que faz com que a marca e a loja sejam reconhecidas pelos clientes em qualquer lugar”, comenta a arquiteta. Ela explica que a compra de uma franquia tende a envolver também um projeto de arquitetura comercial com determinados elementos personalizados e outros que podem ser adaptados devido ao espaço disponível para a loja.

Móveis, cores, materiais, fachada e vários outros detalhes de design devem seguir um padrão que, sem um projeto de arquitetura comercial sólido, é quase impossível de se conseguir. O franqueado também precisa aprender a decorar e arrumar a loja de acordo com o padrão estabelecido.

Marina explica que nem sempre existe uma obrigatoriedade em executar o projeto de arquitetura comercial com o escritório que o desenvolveu, mas que confiar a execução da obra a profissionais que já o conhece pode ser bem vantajoso. “Trabalhar com uma equipe que já conhece todos os detalhes do projeto pode gerar melhores adaptações para o estabelecimento, por exemplo”.

Outra vantagem é garantir que nada saia do padrão, pois ter uma franquia também significa seguir uma série de manuais e, quando isso não é feito, o franqueado pode sofrer penalizações. Além disso, ele pode acabar tendo de refazer alguma parte da obra para que ela se encaixe no visual padrão, o que pode significar novos gastos e até atrasos na data de abertura da loja.

Marina finaliza lembrando que a arquitetura comercial ajuda todos os pontos de venda a manterem um mesmo padrão visual. É sempre importante seguir todas as normas dos manuais do franqueador, além de contar com profissionais qualificados para executar o projeto.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.