Atacadão já representa 75% do lucro e 50% das vendas do Carrefour no País

redacao 17/08/2011
redacao 17/08/2011

Rede comprada há quatro anos por R$ 2,2 bilhões cresce a um ritmo de 20% ao ano e deve ganhar cada vez mais importância dentro do grupo

A rede popular Atacadão já é responsável por metade das vendas e perto de 75% do lucro do Carrefour no Brasil – o que representa uma mudança profunda no perfil da rede francesa conhecida globalmente por seus hipermercados. No primeiro trimestre, o Brasil tornou-se o segundo maior mercado da varejista no mundo.

Os números foram divulgados por Lars Olofsson, presidente mundial da varejista. O executivo encontrou-se com jornalistas em sua primeira visita ao País depois da mal sucedida tentativa de fusão com o Pão de Açúcar.

De acordo com Olofsson, o Carrefour se divide em dois no Brasil: há os hipermercados e há o Atacadão. O primeiro formato, nas palavras dele, "não cresce" como eles gostariam e passa por um processo de reestruturação. Já o segundo é classificado como "um ótimo negócio", com taxa de crescimento superior a 20%. "O Atacadão é a rede de varejo que mais cresce no Brasil hoje", diz Olofsson. "Por isso, a cadeia vai ser mais e mais importante nas nossas vendas."

Adquirido há quatro anos por R$ 2,2 bilhões, o Atacadão tem um modelo voltado para as classes C e D, com a venda de alimentos tanto para pequenos comerciantes como para o consumidor final. Para manter os custos baixos, os supermercados da rede são modestos: o ambiente é escuro, os produtos são acomodados em estrados e empilhadeiras transitam pelos corredores. Na hora de levar as compras para casa, o consumidor precisa encontrar caixas de papelão vazias pela loja.

Expansão. Hoje, a cadeia francesa tem 108 hipermercados e 49 mercados de bairro com a marca Carrefour no Brasil. Sob a bandeira Atacadão, são 74 lojas. Até o fim deste ano, serão abertos 17 novos pontos da cadeia popular. Desse total, seis são antigas lojas Carrefour transformadas em Atacadão. Segundo Olofsson, outras quatro ou cinco lojas ainda devem passar pelo mesmo processo. "Estamos acelerando o crescimento nesse formato. No ano passado, abrimos 12 lojas do Atacadão", diz.

A experiência brasileira animou tanto os franceses que já teve início o processo de expansão internacional do Atacadão. Hoje, a rede tem quatro lojas na Colômbia e vai abrir a segunda na Argentina em novembro. No início do ano passado, Olofsson chegou a cogitar estender o modelo do Atacadão para os hipermercados franceses – as lojas mais tradicionais e problemáticas da rede. O projeto não vingou, porém, porque a regulamentação francesa não permite a venda, em uma mesma loja, para pessoas físicas e jurídicas. Agora, o pleno é adaptar o Atacadão para as operações do Carrefour na Ásia.
 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.