Atraso de pacote contra a crise nos EUA pesa e bolsas européias operam em baixa

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

As bolsas européias operam em baixa nesta sexta-feira (26). Expectativas de que pacote de socorro ao sistema financeiro não seja aprovado com rapidez pressionam os principais índices da região.

O mau humor voltou à tona aos mercados durante esta sessão. Após a forte alta da última quinta, impulsionada pela expectativa de aprovação do plano de US$ 700 bilhões do governo dos EUA, divergências no Congresso levantam dúvidas sobre a real efetivação do pacote.

Além disso, o Washington Mutual vira nova vítima da crise e os papéis do setor financeiro caem forte.

Crise financeira
Apesar da urgência do pacote e da grande expectativa de aprovação, um bloco no Congresso norte-americano não aceita a proposta do governo de George W. Bush, por não acreditar na viabilidade do uso do dinheiro dos contribuintes para resgatar as grandes instituições e o próprio sistema da crise.

Intensificando os temores quanto ao futuro do setor, o JP Morgan adquiriu por US$ 1,9 bilhão as operações bancárias do Washington Mutual, evitando um processo de bancarrota como verificado no caso do Lehman Brothers. O banco assumirá todos os depósitos, ativos e dívidas da WaMu.

Com o humor já abalado pela crise, as notícias vindas dos EUA tiveram um forte impacto, levando os papéis de bancos a liderar as perdas entre os principais índices. Destaque de baixa para as ações do Old Mutual (-7,52%), Lloyds TSB (-6,86%), Commerzbank (-4,44%) e Credit Agricole (-3,74%).

@@@

Recessão econômica
Sob a ameaça da não aprovação do pacote contra a crise e a redução das estimativas de crescimento para a maior economia do mundo, as commodities também registram um dia de perdas, puxando para baixo os papéis de mineradoras e petrolíferas, que detêm suas receitas diretamente atreladas às oscilações de preço.

Devido à crise de liquidez mundial, o JP Morgan reduziu as suas estimativas de crescimento para a economia norte-americana neste trimestre, e alertou para a possibilidade de contração durante o próximo.

Á mercê das expectativas quanto à divulgação do PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA, prevista para as 9h30min (horário local) desta sexta-feira, os papéis de mineradoras e petrolíferas recuam, pressionado por aqueles da Eurasian Natural Resources (-6,72%), Cairn Energy (-5,56%) e Kazakhmys (-6,48%).

Em alta
Na contramão do movimento de queda para as commodities e para suas produtoras, os ativos de companhias que possuem seus custos fundamentados em matérias-primas, como aéreas, montadoras e produtoras de semicondutores, com receitas atreladas diretamente ao preço do cobre, prata e níquel, registram desempenho positivo nesta sessão. Destaque para as ações da Infineon Technologies (+10,32%), Michelin (+11,48%), assim como para os ativos de Deutsche Lufthansa (+3,64%), BMW (+2,42%) e Air France (+2,60%).

Confira a cotação dos principais índices
O índice CAC 40 da bolsa de Paris se destaca, caindo 2,21% e atingindo 4.133 pontos. Já o DAX 30 da bolsa de Frankfurt negocia em baixa de 2,14% chegando a 6.041 pontos, enquanto o FTSE 100 da bolsa de Londres desvaloriza-se 2,10% a 5.088 pontos.

Já o Euro Stoxx 50, índice calculado pela agência Dow Jones e que mede o desempenho das 50 principais ações da Europa Continental opera em baixa de 2,14%, atingindo a 3.139 pontos.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.