Bancos limitam reação ao PIB nas bolsas européias

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

Os indicadores de crescimento divulgados para a Alemanha, França e zona do euro reduziram boa parte da pressão das bolsas européias nesta manhã, que abriram em baixa prejudicadas pelo balanço decepcionante do banco francês Crédit Agricole e anúncio de baixas contábeis pelo britânico Barclays. Os números aliviam uma eventual necessidade de o Banco Central Europeu ser obrigado a abandonar sua atual política de manutenção do juro e liberam as autoridades para centrar foco sobre as pressões inflacionárias, como desejam. Assim, o euro sobe, influenciado ainda por realização de lucros no dólar e pelo aumento do apetite por risco.

Os índices futuros de Nova York estão em alta, mantendo o otimismo do fechamento em Wall Street ontem, enquanto esperam pela divulgação de uma vasta lista de indicadores previstos para esta manhã nos EUA. Às 9h30 (de Brasília), saem o índice de atividade do Fed de Nova York e os pedidos de auxílio-desemprego; às 10 horas (de Brasília) o Tesouro dos EUA mostra os dados do fluxo de investimento estrangeiro para os EUA; às 10h15 (de Brasília) é a vez da produção industrial e às 11 horas (de Brasília) será divulgado o índice de atividade do Fed da Filadélfia, normalmente bastante acompanhado.

Na zona do euro, foi divulgada expansão de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre em relação ao quarto trimestre de 2007 e de 2,2% sobre o mesmo período do ano passado. Economistas esperavam crescimento de 0,5% em relação ao trimestre anterior e de 1,9% na comparação anual. Mas o número que realmente surpreendeu foi o crescimento de 1,5% no primeiro trimestre da Alemanha em comparação ao quarto trimestre, maior economia dentro da zona do euro. Em relação ao mesmo período do ano passado, o avanço do PIB alemão foi de 2,6% no primeiro trimestre. A expectativa de economistas era de crescimento de 0,7% sobre o trimestre anterior e de 1,8% na comparação anual.

Na França, a segunda maior economia na zona do euro, o PIB também superou as estimativas: cresceu 0,6% no primeiro trimestre em relação ao quarto, enquanto as estimativas eram de expansão de 0,4%; +2,2% ante o primeiro trimestre de 2007, superando a previsão de crescimento de 1,9%.

Às 8h24 (de Brasília), a Bolsa de Paris caía 0,09% e Frankfurt recuava 0,18%; Londres operava em alta de 0,29%. O euro subia 0,23% para US$ 1,5499. O índice futuro Nasdaq-100 subia 0,28% e o S&P 500 futuro avançava 0,18% em Wall Street.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.