Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Cadastro positivo pode ser a solução para o financiamento de veículos

redacao 14/05/2012
redacao 14/05/2012

A regulamentação do cadastro positivo pode ser a solução para flexibilizar o crédito para os financiamentos de veúiculos no Brasil.

Atualmente os agentes financeiros utilizam o cadastro negativo como referência para a concessão de crédito, ou seja, antes de liberarem o crédito as instituições realizam consultas no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), Serasa e outros órgão de registro histórico de crédito.

Segundo o economista especializado em varejo automotivo, Ayrton Fontes, no dia 10 de junho do ano passado, a presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que cria o cadastro positivo com três vetos ao texto original. A regulamentação do Cadastro Positivo já está em fase final, já que os representantes do setor privado e do governo devem chegar a um acordo em até 40 dias.

Com o Cadastro Positivo, o consumidor terá consolidado seu histórico de bom pagador e isso facilitará liberação de crédito para os financiamentos, além de poder contar com taxas de juros mais baixas.

Cadastro positivo em outros países Fontes explica que o Brasil foi o último país do G20 e dos BRICs a aprovar o cadastro positivo. Em outros países como nos Estados Unidos, por exemplo, a implantação deste sistema trouxe benefícios significativos para economia.

No País, o acesso dos consumidores ao crédito dobrou passando de 40% para 80% após a implantação. Já no Chile, as mulheres aumentaram a participação no mercado de crédito, enquanto no México, a população de baixa renda teve grande acesso ao crédito.

Já na Alemanha onde o crédito era pouco difundido, superou em três vezes a média internacional. Na China, o crédito é mais que o dobro do PIB (Produto Interno Bruto) do país, sendo que antes da implantação do sistema, o crédito era muito raro e havia exigência de muitas garantias.

Na Coréia do Sul, os resultados foram ainda mais positivos, já que com o sistema a inadimplência das famílias caiu de 10% para 1,1%.

Segundo o especialista, o Cadastro Positivo também irá contribuir para o País com a redução do spreads bancários devido a diminuição do risco, além de diminuir a inadimplência e o aumenta significativamente a oferta de crédito ao consumidor.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.