Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Caravana estimula empresários do RN a investir em orgânicos

redacao 29/05/2011
redacao 29/05/2011

 O mercado de produtos orgânicos movimenta cerca de R$ 400 milhões por ano no Brasil e, com a realização do Mundial de Futebol no país, essas cifras podem dobrar até 2014. Uma oportunidade de negócio e de bons faturamentos com esse segmento que cresce em todo o mundo. Para estimular empresários potiguares a apostar nesse setor, o Sebrae, em parceria com o Instituto Biossistêmico, realiza até amanhã, no Rio Grande do Norte, a Caravana Copa Orgânica.

Além da capital, que será uma das 12 sedes do campeonato, as cidade de Ceará-Mirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante. Essa região tem potencial para expansão da atividade, que, em solo potiguar, já é praticada no Oeste do estado, com o cultivo de verduras, hortaliças e arroz orgânicos.

A programação do primeiro dia da caravana foi direcionada a empresários natalenses e produtores de Macaíba, cidade localizada na região metropolitana de Natal. Os agricultores receberam capacitação sobre as noções básicas da agricultura orgânica e técnicas produtivas, que envolvem compostagem, adubação orgânica, adubação mineral, proteção do solo, adubação verde, rotação de cultura e biofertilizantes. De acordo com o diretor técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti, o intuito é estimular grupos produtores e, assim, gerar uma maior ofertas desses produtos até a Copa. Segundo dados do IBGE, 90 mil agricultores cultivam gêneros orgânicos no Brasil e mais de 5 mil deles já estão certificados.

O estímulo da comitiva não se restringiu ao campo. Empresários de vários setores participaram de uma palestra para esclarecer as oportunidades que o mundial vai gerar nessa área. “Existia uma imagem de que agricultura orgânica era feita em fundo de quintal e não é bem assim. Isso é coisa do passado. Hoje, o setor está muito profissionalizado, envolvendo inclusive a indústria de cosméticos e confecção de roupas”, exemplificou o consultor do Instituto Biossistêmico, Moacir Kretzmann, que ministrou a palestra para os empresários no auditório do Sebrae-RN. Ele explicou para futuros investidores como a cadeia produtiva está estruturada, a legislação vigente e certificação e deu exemplos de empreendedores que souberam aprov eitar os orgânicos como diferencial competitivo.

“Quem desejar apostar nos orgânicos precisa primeiro entender dos consumidores desses gêneros. Eles levam em conta aspectos relacionados à saúde e respeito ao meio ambiente”, diz Moacir Kreztmann. O consultor refere-se a um grupo de pessoas que possui renda superior a dez salários mínimos, tem ensino superior completo, costuma ser fiel e ter hábitos regulares e contínuos em relação ao consumo. A maioria formada por mulheres. “Esses são fatores que precisam ser considerados na hora de montar um plano de negócios de um empreendimento que vendo produtos orgânicos”, enfatiza o consultor.

CONSUMIDORES

Quem consome também está no foco das atenções da Caravana Copa Orgânica. Hoje, será ministrada a palestra “Orgânicos -Saúde, Sabor e Sustentabilidade Numa só Escolha”, que aborda questões sobre o conhecimento da população acerca dos orgânicos, a forma de produção, a legislação existente para esses gêneros e uma das principais reclamações dos consumidores: o preço dos orgânicos. A palestra será no supermercado Nordestão da avenida Salgado Filho, a partir das 15h. Assim como em Macaíba, os produtores rurais de São Gonçalo do Amarante e de Ceará-Mirim também participam do curso até o sábado (28).

A Caravana Copa Orgânica percorrerá os estados do país onde ficam as cidades-sedes, passando por 44 cidades e com programação para produtores, empresários e consumidores. Estima-se que o projeto beneficie um público total de 3.000 pessoas com os eventos, sendo produtores rurais, empresários do setor de alimentação e consumidor final. O projeto que visa estimular a produção e consumo de produtos orgânicos, tendo como o foco o Mundial de Futebol de 2014, levando informações sobre alimentos cultivados sem agrotóxicos. O objetivo é estimular a produção, a comercialização e o consumo desses gêneros no Brasil.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.