Carrefour reconhece que fusão pode não acontecer

redacao 07/07/2011
redacao 07/07/2011

Os motivos foram as duras críticas que Jean-Charles Naouri, presidente do grupo Casino, fez ao concorrente francês e que ganharam uma conotação de ameaça ao definir o Carrefour como “cúmplice” da violação de um acordo celebrado com o Pão de Açúcar em 2005.

As declarações de Naouri, feitas em visita ao Brasil no começo desta semana, soaram como um aviso de que a fusão entre o Carrefour e o Pão de Açúcar está fadado ao fim. Enquanto a troca de farpas estava limitada a Naouri e Abilio Diniz, presidente do conselho do Grupo Pão de Açúcar, ainda havia a esperança de que as duas partes poderiam se acertar no final, apesar dos obstáculos.

Essa certeza, no entanto, foi reduzida. Se a situação já estava difícil antes, considerar uma fusão neste delicado momento tornou-se algo praticamente impossível para o Carrefour.

Olofsson pode desembarcar no Brasil

Para tentar reverter uma provável “morte anunciada” da fusão, o presidente mundial do Carrefour, Lars Olofsson, pode desembarcar a qualquer momento no Brasil. Comenta-se que ele poderá chegar ao País até a sexta-feira, 08/07, embora não exista uma confirmação oficial de sua viagem por parte da companhia.

O que se sabe é que Olofsson precisa vir brevemente ao Brasil se quiser desfazer o mau estar deixado por Naouri após reunião com Luciano Coutinho, presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.