Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Cerca de 10% das empresas adotaram o novo ponto eletrônico, afirma Afrac

redacao 02/06/2011
redacao 02/06/2011

Prevista para entrar em vigor em setembro, obrigatoriedade do Registro de Ponto Eletrônico (REP) deve provocar verdadeiro “boom” no país

Empresas brasileiras com mais de dez funcionários contratados em regime de CLT serão obrigadas, a partir do dia 1º de setembro, a controlar as horas trabalhadas através de um equipamento para o registro de ponto eletrônico. A pouco mais de três meses do prazo, apenas 10% das companhias se anteciparam à norma, estima a Associação Brasileira de Automação Comercial (Afrac).

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados em Outubro de 2010, apontam que o número de empresas com mais de dez funcionários assalariados no país chegou a 371.610 em 2008.

“Caso a data da obrigatoriedade não seja mais transferida, haverá um ‘boom’ pela adoção da tecnologia”, avalia Zenon Leite Neto, presidente da Afrac. Segundo o responsável, os equipamentos eletrônicos poderão garantir o controle das horas extras e amenizar conflitos entre empregados e empregadores.

Como o Registrador de Ponto Eletrônico (REP) é um produto genuinamente brasileiro, foi criada uma nova oportunidade de negócios para fabricantes brasileiras, em comparação com concorrentes estrangeiros. O REP será um dos temas a serem debatidos na Autocom 2011 – Exposição e Congresso de Automação Comercial, Serviços e Soluções para o Comércio, de 7 a 9 de Junho em São Paulo (SP).
 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.