Chocolateria Brasileira vai lançar dois modelos de negócios enxutos durante a Feira do Empreendedor

Com investimento de apenas R$ 3 mil, a Chocobag dá mais mobilidade aos franqueados e amplia a presença nas cidades onde já está presente, já o outro novo modelo é um quiosque com investimento de R$ 38 mil

Portal Sua Franquia 29/03/2018
Chocobag, novo modelo de negócio da Chocolateria Brasileira
Portal Sua Franquia 29/03/2018

A Chocolateria Brasileira, franquia de chocolates finos, participará da Feira do Empreendedor Sebrae, que vai acontecer no Pavilhão de Exposições do Anhembi, entre os dias 7 e 10 de abril, em São Paulo. A empresa, comandada por Christian Neugebauer, herdeiro de uma família que há mais de 100 anos atua no segmento de chocolates, apresenta durante o evento dois novos modelos de franquia: a Chocobag e o Quiosque.

A Chocobag é uma mala térmica estilizada, com capacidade para até 62 litros, e a adesão à marca terá o custo inicial de apenas R$ 3 mil, com retorno previsto para cerca de três meses e uma estimativa de lucro em torno de 27% sobre as vendas. Vinculado à uma loja ou quiosque, o franqueado deste modelo atuará com vendas porta a porta ou através de parcerias com os comércios da região, em um raio pré determinado, podendo ser um bairro ou uma cidade vizinha. “A franquia é para o empreendedor que deseja colocar a ‘mão na massa’. Com a mobilidade que o modelo oferece, os franqueados poderão vender trufas e chocolates em barra em diferentes locais como salões de beleza, universidades, colégios, lojas de departamentos ou grandes magazines, parques e eventos em geral”, explica Neugebauer. Para adentrar no negócio modelo home based, é preciso que o interessado esteja enquadrado no MEI – microempreendedor individual – pelo Simples Nacional.

Já a outra novidade é o quiosque seco. Com apenas investimento de apenas R$ 38 mil, o novo franqueado poderá comercializar todo o leque de chocolates finos da marca, sem o espaço de café. Nesse modelo também enxuto, mas como foco em quem prefere empreender em um negócio físico, o faturamento médio previsto é de R$ 27 mil com margem de lucro de 15% e o retorno fica entre 14 e 24 meses.

Promovida pelo SEBRAE-SP, a 7ª edição da feira, pretende disseminar conhecimento e oportunidade de negócios para um público de aproximadamente 140 mil micros, pequenos e médios empresários, gerando milhões em negócios. “É uma grande oportunidade para apresentar a Chocolateria, já que o público que frequenta a feira está em busca de novos negócios”, afirma Neugebauer. “A estratégia da empresa é ampliar a oferta de oportunidades de investimento na marca. Com os lançamentos a rede passa a ter quatro modelos de negócios com valores de investimentos entre R$ 3 mil e R$ 195 mil”, finaliza.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.