Quatro táticas para ativar o ciclo de vendas no seu negócio

Diminuir a burocracia por meio de assinaturas eletrônicas é alternativa para trazer mais receita e melhorar a experiência dos clientes

Redação 08/12/2017
Relógio despertador em estilo mais antigo, moedas ao lado dele, e dentro das moedas está crescendo plantas pequenas, demonstrando tempo e dinheiro
Redação 08/12/2017

Poucos setores são tão estratégicos para um negócio quanto o de vendas, uma vez que é aqui que a empresa consegue fazer seus produtos e serviços virarem receita. Porém, passar por todas as fases do ciclo de vendas e fechar um contrato em pouco tempo pode ser desafiador. Para auxiliar as empresas a reduzirem este prazo e conquistarem mais clientes, a DocuSign, empresa de assinatura eletrônica e em Digital Transaction Management (DTM), elencou quatro táticas fundamentais para qualquer negócio.

Primeiro é preciso entender como o ciclo de vendas funciona no seu negócio: se ele é curto, como no varejo físico, ou longo, como em companhias que oferecem serviços para empresas. Em qualquer um desses casos é possível identificar e melhorar as fases para a venda desde o início, quando são feitas pesquisas para identificar os desejos dos futuros clientes e definir melhores estratégias de vendas. Após este momento, é preciso buscar os potenciais clientes em diferentes canais, apresentar a empresa e partir para a negociação de finalização do negócio.

De acordo com Gustavo Brant, vice-presidente de vendas da DocuSign na América Latina, tornar o ciclo de vendas mais ágil traz menos custos paras as empresas e reduz as chances de um potencial cliente abandonar sua jornada de compras no meio do caminho.

Conheça as estratégias que ajudarão as empresas a atingirem esse objetivo.

Faça um mapeamento detalhado

Para começar a encurtar o ciclo de vendas da empresa de forma consistente, é preciso identificar os pontos em que o processo trava e é necessário maior esforço para que o cliente continue na sua jornada de compra. Os pontos de lentidão podem estar desde a forma como a empresa estuda o mercado à maneira como divulga seus produtos ou conduz a negociação direta com o comprador. Para averiguar qual é realmente o problema, é necessário destrinchar todo o processo e acompanhar o resultado de cada uma das etapas, tendo como base dados reais, como métricas de conversão de leads, ticket médio obtido nas primeiras compras e retorno de compradores.

Qualifique sua equipe

É essencial que todos os funcionários da área de vendas recebam acompanhamento constante, com feedbacks claros sobre sua forma de atuação, além de receberem treinamentos qualificados para melhorar seu desempenho. Alguns pontos devem se tornar prática, como a capacidade de ouvir atentamente o possível comprador, a necessidade de não alongar demais o processo de convencimento com informações irrelevantes para o cliente e a disponibilidade para responder de forma clara as dúvidas do contato.

Lembre-se de que o ciclo de vendas não se restringe à atividade dos vendedores, mas também envolve o trabalho de atendentes no pós-venda e da equipe de divulgação e marketing, responsável por interpretar dados e direcionar a criação de produtos e serviços, ainda promovendo sua divulgação para os compradores e desempenhando um papel importante no que se refere à retenção de clientes.

Aproveite o potencial do CRM

Lançar mão de softwares CRM (sigla em inglês para gerenciamento de relacionamento com clientes) é uma excelente alternativa para manter um rico banco de dados. Essa solução coleta, de forma automática, várias informações tanto sobre clientes já conquistados como sobre leads, envolvendo desde dados pessoais, como idade, até informações específicas, como hábitos de consumo, se visitou ou não seu site e assim por diante. Assim, a empresa passa a contar com um extenso banco de dados sobre seu público, o que alimenta a atuação da equipe de vendas, tornando cada processo mais personalizado e com um potencial de sucesso muito maior.

Diminua a burocracia

Um dos pontos de entrave de um ciclo de vendas é uma velha conhecida do empresariado brasileiro: a burocracia. Negociações mais complexas podem envolver, por exemplo, a Receita, exigindo declarações específicas para a cobrança de impostos e tributos. Vendas B2B também são marcadas pelo uso de contratos, seja de garantia ou de manutenção de um serviço por determinado tempo. Isso se traduz no preenchimento de mais papéis e na necessidade de se conseguir autenticações diversas.

Felizmente, existem ferramentas que ajudam a diminuir o peso da burocracia no seu ciclo de vendas. Um bom exemplo é a assinatura eletrônica de documentos. Em vez de precisar se deslocar para recolher assinaturas, você consegue garantir a validade jurídica de um documento diretamente de um celular, tablet ou computador, de forma imediata.

O processo é mais barato que o tradicional, mais ágil e protegido por criptografia comprovadamente segura e aceita pela legislação brasileira. Outros benefícios da assinatura eletrônica é a possibilidade de rastrear o andamento da negociação, permitindo que a equipe de vendas identifique potenciais dúvidas e as esclareçam prontamente, acelerando a contratação.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.