Clima pode atrasar em até 1 mês início da safra de cana

redacao 12/03/2012
redacao 12/03/2012

A safra de cana-de-açúcar do Centro-Sul de 2012/13 vai começar com atraso. Normalmente iniciada em meados de março, as usinas ligarão suas caldeiras a partir da segunda quinzena de abril na maioria das regiões produtoras em função das adversidades climáticas registradas no final de 2011 e no início de 2012. A forte estiagem registrada em dezembro atrasou o desenvolvimento da cana, que depois de um período de chuvas em janeiro, volta a sofrer com novo período de seca, que está reduzindo sua massa e, consequentemente, a produtividade da planta.

Além do atraso da colheita, o setor está preocupado com a repetição, nesta safra, do cenário de 2011, quando um menor volume de cana fez com que tanto a produção de açúcar como de etanol fosse afetada. O setor já trabalha com uma capacidade ociosa de mais de 100 milhões de toneladas. Com o atraso da safra nova, os preços elevados de açúcar e etanol da entressafra podem vigorar no mercado por mais tempo.

Início da safra

Na região noroeste do Estado de São Paulo, onde estão as usinas da Guarani, a expectativa é de que a colheita tenha início em torno do dia 15 de abril, um atraso de até 15 dias. "Toda a região está sofrendo muito com a falta de chuvas, o que atrasou o desenvolvimento da cana", explica o presidente da Guarani, Jacyr Costa Filho.

A região mais próxima do centro do Estado, em torno de Catanduva e Promissão, está registrando maiores efeitos da seca, o que deve levar a um atraso maior no início da safra. "As usinas da região de Catanduva vão entrar em operação a partir da segunda quinzena de abril, se estendendo até maio", explica Carmen Ruete de Oliveira, diretora do grupo Virgolino de Oliveira, com usinas na região. Segundo ela, uma maior definição dos efeitos do clima e da seca apenas estará disponível a partir do fim de março. "Mas, neste momento, o quadro que se mostra é de uma safra com menor produtividade", disse.

O presidente da Renuka do Brasil, Humberto Junqueira de Farias, disse que a colheita da cana de suas usinas também começará mais tarde. A Renuka, que possui unidades em Promissão e em Brejo Alegre, as duas no interior paulista, irá começar a colheita na segunda quinzena de abril em uma unidade e em maio na outra.

No Pontal do Paranapanema a seca afetou menos o desenvolvimento da cana e o atraso será de apenas alguns dias. Segundo o presidente da Umoe Bioenergy, Rubens Approbato Machado Júnior, a moagem da usina, localizada em Sandovalina, deve ter início na primeira metade de abril com uso mais agressivo de maturador e moendo áreas de reforma.

Já nas usinas da São Martinho, localizadas mais na parte central do Estado de São Paulo, as chuvas tem sido mais frequentes, minimizando os efeitos da estiagem. Para o presidente da São Martinho, Fábio Venturelli, a colheita deve começar em torno do início da segunda quinzena de abril. "Em relação ao plantio, o clima não ajudou na região de Araçatuba, foi satisfatório em Ribeirão Preto e foi muito favorável em Piracicaba", disse Venturelli.

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) deve divulgar sua primeira estimativa para a safra de cana 2012/13 do Centro-Sul no final de março. Na média, executivos do setor estimam uma safra em torno de 520 a 530 milhões de toneladas, um crescimento de 5% a 7% em relação aos 495 milhões de toneladas registradas em 2011/12. Se concretizado, o crescimento será insuficiente para atender a capacidade ociosa do setor.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.