Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Com alta dos grãos, ações de produtoras de carne devem seguir pressionadas

redacao 14/01/2011
redacao 14/01/2011

A previsão de queda na produção de soja e de milho nos EUA provocou uma alteração na relação entre oferta e demanda desses grãos, levando a uma maior procura dos contratos futuros destas commodities. De acordo com a Link Investimentos, as quedas de estoque de 14,9% na soja e 10,5% no milho, segundo dados da USDA (United States Department of Agriculture), provocaram um aumento de 4,27% e 3,98% nos contratos futuros de segunda posição de entrega, geralmente os de maior liquidez, na bolsa de Chicago.

Na visão da Link, as preocupações a respeito do impacto desta alta de preços de grãos na margem das empresas produtoras de carne, como as brasileiras JBS (JBSS3), Marfrig (MRFG3), Minerva (BEEF3) e Br Foods (BRFS3), seguem presentes e devem impedir uma valorização de suas ações no curto prazo. "No entanto, achamos que as perspectivas são mais favoráveis no médio e longo prazo e as empresas brasileiras deverão ser as maiores beneficiadas disso", diz a corretora em relatório.

A Link tem rating outperform (expectativa de retorno acima da média do mercado) para as ações de JBS, Marfrig e Minerva. Já para a Br Foods, a avaliação é market perform (projeção de retorno alinhado ao do mercado).

Preços devem seguir pressionados
A Link avalia ainda que o atual cenário de desequilíbrio entre oferta e demanda e baixos níveis de estoques deve continuar pressionando os preços dos grãos. Nos últimos doze meses, o aumento na soja e no milho na Bolsa de Chicago já está acumulado em 44,7% e 58,7% respectivamente.
 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.