Mais de 60 milhões de brasileiros vão fazer compras online, diz Ebit

Especialistas reforçam importância dessa modalidade de compra no país e lembram alguns itens do quesito de segurança que devem ser observados

Redação 16/03/2018
Mão em um teclado de computador e a outra segurando um cartão de crédito, representando o e-commerce
Redação 16/03/2018

Relatório divulgado no dia 8 de março pelo Ebit mostra que o faturamento do comércio eletrônico cresceu 7,5% em 2017. Para 2018, deve haver um avanço ainda maior, de 12%. No ano passado, as vendas pela internet totalizaram R$ 47 bilhões e a estimativa para 2018 é de R$ 53 bilhões nessa modalidade de vendas. No total, mais de 60 milhões de consumidores vão adquirir produtos em lojas virtuais durante este ano. “O mercado do e-commerce está consolidado no Brasil e ajuda a alavancar a economia do país”, destaca Vandre Ramos, Gerente de Desenvolvimento da HostGator, um dos principais provedores de hospedagem de sites e serviços relacionados à presença online do mundo.

O relatório sugere ainda um crescimento nas compras via dispositivos móveis. No ano passado, 27,3% das compras foram feitas via smartphones ou tablets. Para 2018, a participação será maior, passando a representar 37% das compras no último trimestre do ano. Quanto às regiões do país, o Sudeste se destaca, representando 63,6% das vendas em 2017, enquanto a região sul registrou 16,1%.

Outro dado que chama a atenção, pelo relatório, é que o consumidor optou por aproveitar os descontos para pagamento das compras em parcela única. Em 2016, 42,2% das compras online registraram pagamento à vista e em 2017 esse número aumentou, chegando a 49,8% do total de aquisições.

Vandre Ramos, Gerente de Desenvolvimento da HostGator, lembra, no entanto, que as compras em lojas virtuais merecem uma atenção especial quanto ao quesito de segurança. “Procure por selos de segurança, que geralmente ficam no rodapé do site. Um exemplo é o SiteLock, que faz varreduras frequentes e remoção de Malwares no site ”, destaca.

Thiago Goulart, Diretor de TI da Avanti – empresa que desenvolve solução para a área de e-commerce e negócios digitais – concorda e aconselha os consumidores a sempre buscarem informações da loja onde a compra online está sendo realizada. “Informações como CNPJ, endereço, e-mail e telefone devem estar no rodapé do site. Se a loja esconde os canais de relacionamento, desconfie”, afirma. Outra dica é verificar se o site apresenta um certificado de segurança. “Você pode fazer isso olhando para a barra de endereços do seu navegador. Se o endereço do e-commerce iniciar com “https” e ele apresentar um cadeado verde ele é confiável”, completa.

Um relatório de janeiro de 2018 sobre o comportamento dos fraudadores cibernéticos no comércio eletrônico brasileiro revelou que a cada 33 compras online feitas no e-commerce brasileiro, uma é de origem fraudulenta, feita por estelionatários, com cartões de crédito clonados. Os itens mais visados pelos golpistas são games, celulares, câmeras, eletrônicos e aparelhos de informática.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.