12 dicas para fazer o seu planejamento tributário corretamente

Consultor Magnus Wolfram reforça que melhorar o planejamento tributário da empresa significa ter mais economia, além de ficar em dia com a lei

Redação 22/03/2018
Redação 22/03/2018

Como está o planejamento tributário da sua empresa? Pode não ser fácil. Mas deixar as obrigações e deixar um planejamento bem estruturado é essencial para o sucesso de qualquer organização. O diretor presidente da Magnus Consultoria, Magnus Wolfram, reforça que melhorar o planejamento tributário significa economia. “O planejamento melhora a gestão e, quando bem feito, ajuda a reduzir custos sem ferir a legislação”. Magnus dá 12 dicas para quem busca um planejamento tributário eficiente:

1. Elisão fiscal sim, sonegação, não:

A sonegação fiscal é a ocultação do recolhimento dos tributos. É ilegal e configura crime. Já a elisão fiscal é uma forma legalizada de diminuir os encargos públicos e pode ser decorrente da própria legislação ou resultante dessa legislação.

2. Conheça a legislação:

Você conhece os tributos cobrados no país? Mesmo que você não seja um especialista no assunto precisa conhecer bem pelo menos os principais. Pesquise e se mantenha bem informado sobre quais incidem em sua operação.

3. Fatores que influem no Financeiro:

Na hora de montar seu planejamento tributário, leve em conta todos os fatores que possam ter influência no seu panorama financeiro, como histórico da empresa, margem de lucro e receita bruta.

4. Escolha o regime de tributação certo:

Cada regime de tributação tem suas próprias particularidades, assim como cada atividade empresarial. Analise bem os fatores que influem no panorama financeiro e escolha o melhor regime para o seu negócio: Microempreendedor Individual (MEI), Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real.

5. Verifique se existem incentivos ou isenções fiscais:

Se sua empresa estiver com o enquadramento tributário correto, verifique se existem incentivos e/ou isenções referentes à atividade dela. Uma boa dica é simular os cenários de tributação para saber se há casos de compensação de créditos fiscais ou se há possibilidades de se enquadrar em alguma modalidade de incentivo.

6. Estude todas as possibilidades de utilizar créditos tributários:

Examine seu enquadramento para descobrir como ele possibilita a obtenção e o uso de valores. Algumas siglas permitem que se credite quando toma serviços, outras na compra de mercadorias e outras ainda permitem o uso de créditos adquiridos em depreciação e pagamentos de despesas.

7. Obrigações acessórias:

A carga burocrática de alguns enquadramentos pode ser muito maior do que de outros. Por isso, é importante pesquisar as obrigações acessórias. Dessa forma, você economiza tempo, recurso e dinheiro com a escolha da legislação mais adequada.

8. Diminua o pró-labore:

Uma alta retirada mensal significa uma alta alíquota do imposto de renda. Se você retirar R$ 10 mil, por exemplo, terá que pagar 40% em INSS e IR. Uma saída inteligente é diminuir o valor do seu pró-labore e distribuir o restante sob forma de lucro, que não é tributado.

9. Subdivida sua empresa:

Se a sua empresa possui mais de uma forma de atuação (produtos e serviços) pode valer mais a pena repensar sua atividade empresarial, subdividindo a empresa. Assim você escolhe enquadramentos tributários diferentes para cada uma delas, reduzindo custos.

10. Mantenha finanças pessoais e empresariais separadas:

Um dos maiores erros no ramo empresarial é confundir as finanças pessoais com as da empresa. Além de atrapalhar na gestão, a atitude pode aumentar a tributação em cima dos rendimentos e diminuir sua margem de lucro.

11. Contrate uma empresa terceirizada:

Terceirizar serviços que não fazem parte do seu foco principal é sempre aconselhável. Neste caso, o benefício é ainda maior, pois a tributação é uma área que, se mal administrada, pode trazer grandes prejuízos. Além disso, se a sua empresa estiver enquadrada no Lucro Real, é possível deduzir os gastos com a terceirização nos cálculos de PIS e Cofins.

12. Revise seu planejamento:

Esse é um conceito do planejamento estratégico que pode ajudar bastante no seu tributário. Defina indicadores e faça uma avaliação de todas as etapas para ver se tudo está andando conforme o planejado. Se for necessário, faça correções.

 

1 Comentário

  • Ronaldo Barbosa26 de março de 2018

    Material excelente, pois recentemente enfatizamos um boa parte dos tópicos elencados neste material foram enfatizados em um treinamento com um cliente.
    Parabéns.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.