Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

E-commerce brasileiro será o 4º maior no mundo em 2015, com previsão de crescimento de 43%

redacao 30/01/2012
redacao 30/01/2012

Com previsão de crescimento superior aos 43% no ano, País deve superar Alemanha, França e Reino Unido

De acordo com levantamento feito pela T-Index 2015, o Brasil terá um aumento de 43,3% no e-commerce mundial em 2015, ocupando a quarta colocação no ranking. Atualmente, o País é o sétimo maior mercado do setor no mundo, com 3% de participação, atrás de Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, Reino Unido e França. Segundo a projeção, o avanço brasileiro acontecerá em especial pela crise econômica sofrida pelos países no topo da lista.

A projeção foi desenvolvida a partir de um suposto crescimento linear dos países, com base no aumento dos últimos anos. De acordo com o levantamento, no ano em questão, a China terá 18,8% de market share, ante os 11,5% atuais. Em contrapartida, os Estados Unidos cairão dos 24,4% para 16,8%. Entre os outros colocados, o Japão manterá a terceira posição com 4,9% do mercado; a Alemanha, com 4,1%; e o Reino Unido, com 2,7%; e a França terá 3,3%, segundo o levantamento.

Para Igor Senra, presidente do Moip, empresa de pagamentos online, além da crise sofrida no exterior, o aumento do poder aquisitivo da classe C é um dos responsáveis por alçar o crescimento do comércio eletrônico brasileiro. “O Brasil vem tendo 30% de ampliação nos últimos cinco anos e deve manter a marca nos próximos. Somado ao cenário vivido por países como Estados Unidos, Reino Unido e França, não é impossível imaginar atingir a terceira colocação na próxima década”, afirma o executivo.

Além do Brasil, outros países emergentes apresentarão crescimentos constantes em 2015, de acordo com o T-Index 2015. A Rússia, que ocupa atualmente a oitava colocação do mercado, com 2,9% de share, terá aumento de 27,5%; enquanto a Índia apresentará aumento de 26,6%; a Indonésia, 20,8% e a Turquia, com 20%.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.