Empreendedor vendeu um projeto para um cliente e só depois criou a startup

Roi Hero foi fundada pelo autodidata Davi Bernardes com R$ 2.400 e se pagou em um mês

Redação 27/10/2017
Redação 27/10/2017

Quem tem negócio próprio ou pensa em abrir um, sabe que conquistar os primeiros clientes não é fácil, podendo levar alguns meses. Não foi o caso  do empreendedor paulista Davi Bernardes. Ele fechou seu primeiro contrato antes do lançamento de sua startup, a Roi Hero (www.roihero.com.br), solução para lojas virtuais que cria vitrines personalizadas levando em conta o perfil dos consumidores. O investimento inicial foi de R$ 2.400 e foi recuperado em um mês.

Sem seguir receitas, o empreendedor de 31 anos é autodidata – abandonou o colégio na sexta série e não fez faculdade. Curioso e interessado, ele aprendeu desde inglês até programação por meio de cursos e tutoriais da internet e foi com essa bagagem e experiência de seis anos com e-commerces que fundou a Roi Hero. À época, Davi prestava consultoria para a VestCasa, loja do segmento de Casa, Mesa & Banho, e ofereceu o serviço para seu gerente de mídia e e-commerce, que topou. “Até então, tinha escrito boa parte do algoritmo da solução, mas ela ainda não existia. Em um mês, reuni o investimento, contratei a equipe e lancei o MVP”, conta.

Para escalar a operação, Davi propôs parceria diretamente com uma plataforma de e-commerce e participou de um encontro promovido pela empresa, onde alimentou seu networking. E ele foi mais longe para atrair novos clientes, trazendo, em suas palavras, uma “mosca branca” no mercado: garantia em contrato de retorno mínimo de três vezes o valor investido, com reembolso caso não seja alcançado.

A missão da Roi Hero, segundo o empreendedor, é democratizar o acesso a ferramentas do segmento – os preços começam em R$ 29. “Diferentemente dos concorrentes, que empregam inteligência artificial, nós utilizamos big data e mineração de dados para entender cada consumidor, o que torna o preço mais acessível a pequenas empresas”, explica.

Resultados concretos
O faturamento dos e-commerces tem um acréscimo que gira em torno de 6% a 12% com o uso do ROI HERO. “Mas pode ser bem maior, chegando a 25% ou 30%”, pontua Davi. Alguns fatores para isso são a diminuição da taxa de rejeição e o aumento do engajamento, da conversão e do ticket médio. “Mostrar novos produtos ao consumidor quando ele ameaça sair do site ou sugerir itens parecidos com o que já está sendo buscado são ações que disparam essas taxas e, consequentemente, geram alta no faturamento”, diz Davi.

Com apenas um ano de operação, celebrado agora em setembro, a Roi Hero já é utilizada por 30 e-commerces, como a VestCasa e a Pandora Joias. No começo de 2018 será lançada nova versão da plataforma e a meta é faturar R$ 1 milhão. “Agora comprei um curso de MBA em Negócios para aprender ainda mais, empreendedor não pode parar!”, brinca o animado Davi.

 

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.