Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Empresa de TI conta como aprendeu a se adaptar às necessidades do mercado

redacao 31/03/2014
redacao 31/03/2014

por Mônica Pupo

Não são apenas as empresas que lidam diretamente com o público, como as de comércio e serviços, que necessitam estar atentas às “vozes” do mercado. Companhias do segmento B2B também precisam encontrar formas de se comunicar e descobrir os anseios da clientela. É o que busca fazer a Superlógica, empresa de Tecnologia de Informação especializada em softwares de gestão para empresas e condomínios. Fundada em 2001, a Superlógica inicialmente fornecia um sistema único de gestão financeira, mas logo percebeu que precisaria adaptar este – e os futuros lançamentos – às necessidades específicas de seus clientes. “Aprendi que o planejamento nasce morto, ou seja, os produtos e serviços devem ser constantemente adaptados ao mercado, dia após dia. E não o contrário”, ensina Carlos Cêra, sócio e diretor de novos produtos da Superlógica.

Além das sugestões e conversas diretas com clientes, a empresa também aposta nas redes sociais como canal de comunicação direta com os clientes. Através das contas no Twitter, Facebook, LinkedIn e Youtube, monitora informações sobre os produtos, reclamações, dicas e elogios. “Para estimular o diálogo, procuramos ser transparentes e frequentemente enviar informações de bastidores, o que acredito criar uma empatia e uma vontade de ajudar”, afirma Cêra.

A opção de pagar o condomínio com cartão de crédito foi outra inovação que surgiu a partir destes canais de comunicação. “Foi ouvindo o cliente, que desejava uma forma atualizada de pagamentos de suas taxas condominiais, que desenvolvemos, em conjunto com a Cielo, possibilidade do pagamento da taxa condominial através do cartão de crédito”, detalha o empresário.

Melhoras na conectividade dos serviços da empresa surgiram a partir dos clientes, que constantemente se queixavam sobre o processo de baixa de boletos, “considerado de produtividade baixa, além de inconsistente e de alto custo”, na definição de Cêra. Em busca de uma solução, a Superlógica aliou-se à Nexxera, marca líder no mercado de transferência eletrônica, para desenvolver uma nova ferramenta mais ágil e eficaz. Chamada “Birô”, a solução hoje imprime, envelopa e expede mais de 130 mil boletos e carnês por mês de clientes, em sua maioria administradoras de condomínio.

A recente entrada num novo nicho de mercado, com o lançamento de um completo software financeiro direcionado a empresas de serviços, também surgiu a partir dessa cultura de observação e diálogo com o mercado. “Descobrimos um mercado imenso para explorar com base em conversas com clientes”, aponta o empreendedor. A ferramenta inédita propõe uma solução de loja virtual para serviços recorrentes, com opção de modalidade mensalidade e assinatura. “Funciona de forma similar a uma loja de produtos. A diferença é que o cliente contrata serviços recorrentes – mensalidades de serviços ou assinaturas de softwares (SaaS), por exemplo”, explica Cêra. O sistema está preparado para emitir boletos e cobranças com cartão de crédito (Visa, MasterCard, Elo e qualquer bandeira aceita pela Cielo), além de emitir nota fiscal eletrônica.

O sucesso da estratégia pode ser medido pela ascensão do negócio, que cresce a taxas de 25% ao ano. Para 2013, a expectativa é de crescer ainda mais, atingindo pelo menos 35%. Com sede em Campinas (SP), a Superlógica hoje está presente em todo o território nacional e tem seus sistemas utilizados por aproximadamente um milhão de unidades imobiliárias, cerca de 15 mil condomínios e mais de mil administradoras. “A parte mais importante de ouvir os clientes é ir até eles e captar o que estão “sentindo” em relação a seus produtos. Não espere que a sua resposta apareça de uma pergunta direta ao cliente. Normalmente os clientes não vão saber exteriorizar exatamente aquilo que querem, a não ser que seja uma demanda latente muito forte. Vá até seus clientes e coloque-se no lugar deles”, reflete Cêra.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.