Empresa inova no segmento de jeans para driblar a crise

Jovens herdeiros de uma confecção especializada em jeans desenvolvem um bolso específico para celular, aliando funcionalidade e design, e aumentam as vendas em 30%

Redação 13/06/2017
Redação 13/06/2017

A marca PRS Jeans&Co acaba de lançar um novo modelo de calça que promete resolver o problema de quem não tem onde guardar seu aparelho de celular. Com o objetivo de aliar inovação e funcionalidade ao design, o empresário Frederico Giordano Perusin (28) e a estilista Caroline Giordano Perusin (26) desenvolveram uma série de protótipos até chegar ao modelo final que conta com um bolso invisível, na lateral externa da calça. “Inicialmente o diferencial era ter um bolso discreto, que tornasse o aparelho imperceptível esteticamente e que proporcionasse liberdade de movimento, porém no decorrer do projeto percebemos outros benefícios para quem usa a peça, como segurança e praticidade”, conta Frederico.

A funcionalidade foi patenteada pelos empresários justamente por não haver no mundo alguma empresa que tivesse desenvolvido algo similar. “O bolso para celular nessa posição da calça ou bermuda está registrado e sob nosso domínio. Caso alguma empresa venha a reproduzir a mesma ideia, temos a proteção da patente, em que nossa equipe jurídica poderá tomar as devidas providências”, explica Caroline.

Como a estrutura da marca já existe há mais de três décadas, o investimento inicial foi apenas de tempo, dedicação e matéria-prima, já que foram produzidos diversos testes até chegar a versão final e ideal. “Não precisamos adquirir maquinário pelo fato da produção ser terceirizada, porém o custo da mão de obra aumentou cerca de 40% uma vez que a modelagem requer muito mais trabalho além de demandar mais tempo. Por consequência o consumo de tecido é muito maior nas peças com esse bolso específico”, conta Frederico.

O resultado não poderia ser diferente e a PRS conseguiu agregar valor a peça: “Estávamos com muita dificuldade em precificar nossos produtos já que tudo tem aumentado, como mão de obra, tecidos e aviamentos, logo não conseguíamos repassar os custos”, explica Fredy. “Com esse diferencial único e exclusivo é possível comercializar os produtos e manter a margem de lucro.”

“Nosso investimento foi destinado ao departamento de marketing, responsável pelos materiais de comunicação visual específicos para os pontos de vendas dos clientes, como displays, totens e móbiles. Nesse tempo de crise ou inovamos e oferecemos um produto interessante ao nosso cliente ou fechamos as portas como muitos concorrentes tem feito.” Por conta do novo modelo, a marca estima um aumento nas vendas de cerca de 40% com produção de pouco mais de 100 mil peças/mês.

Atualmente, a marca, que tinha 90% da sua produção direcionada ao público masculino, já vende peças femininas com o Bolso Celular. Os modelos já estão disponíveis para compra nos mais de 2 mil pontos de venda espalhados pelo país, custam em média R$149 e vem com uma tag especial, no formato de um aparelho celular, explicando as diversas funcionalidades do bolso.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.