Empresários dão dicas para quem quer abrir seu próprio negócio

Para Carlos Alexandre Gomes (foto), diretor executivo do Banneg – Banco de Negócios, o poder de tomar a iniciativa é um dos grandes atributos que todo o empreendedor deve ter

Redação 10/07/2018
Redação 10/07/2018

A pesquisa “Amway Global Entrepreneurship Report (Ager)”, realizada pela Universidade Técnica de Munique (TUM) e validada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), revela que os brasileiros possuem a maior média global em relação ao desejo de empreender. Do total de entrevistados, 82% querem ter seu próprio negócio nos próximos cinco anos. No mundo, esta média é de 56%. Essa não é a primeira pesquisa que mostra a intenção da população em empreender. É apenas a mais recente. O brasileiro é um povo empreendedor. Cria, inventa e se reinventa. A paixão pelo negócio é quase discurso unânime entre eles, mas acredite, é preciso mais do que paixão para alcançar o sucesso de um empreendimento. A paixão pode ser a alma do negócio, mas é preciso mais.

Carlos Alexandre Gomes, diretor executivo de algumas franquias brasileiras, entre elas o Banneg – Banco de Negócios, pontua que a iniciativa é a maior das forças para o empreendedor que deseja alcançar sucesso no seu negócio. “Não basta ter boas ideias, bons projetos e capital.  O maior peso de tudo isso é a iniciativa de fazer acontecer.  Muitas pessoas dispõem de recursos, mas tem muito medo de agir. Ou seja, chega de sonhar.  Vá lá e conquiste.  E como dizem por aí: ‘Realize seus sonhos antes que alguém o contrate para realizar os dele’”, explica o empreendedor. Amante dos seus negócios, ele conta: “Se paixão é calor, loucura e um pouco de ações irrefletidas, às vezes ela ajuda no ato do empreender.  Mas para que o empreendimento se mantenha, cresça e dê resultados, o mais importante é o amor.  Eu diria que a paixão ajuda na arrancada, mas depois é preciso compensar este impulso por um pouco de lucidez, avaliações e planejamento”, explica.

 Já Henrique Mol, diretor executivo da holding Encontre Sua Franquia, detentora de mais de seis marcas de franquias no mercado (AcquaZero, Encontre Sua Viagem. Bidon, GEmotion e Fórmula Pizzaria) revela seu ponto de vista: “Ter paixão pelo o que faz, nos motiva a dar o melhor nas ações para a conquista de resultados. Mas alguns sacrifícios são inerentes nesse processo”. Ele conta através de suas experiências que teve até se posicionar como um talentoso empresário, que o esforço é fundamental para que os resultados aconteçam. “Foco, saber exatamente quais são os seus objetivos e caminhar neste sentido. Paciência, aguardar para que os resultados aconteçam. Resiliência, saber lidar com as dificuldades que serão enfrentadas pelo caminho”, explica o empresário.

Segundo Mol, essas foram as suas diretrizes durante os 10 anos que tem no empreendedorismo. Marcelo Salomão, diretor da Gigatron Franchising, Viela Paris e investidor-anjo de diversas startups brasileiras, acredita que quando se gosta do que se faz, há mais empenho, e assim, os resultados são mais certeiro. Entretanto é preciso amadurecer a ideia e buscar embasamento de mercado. “Começar fazendo aquilo que gosta já é um caminho. O segundo passo é pesquisar, MUITO. Faça uma análise completa exploratória, como pesquisas de mercados. Antes de abrir o empreendimento, entenda qual é o seu mercado, público-alvo, motivo pelo qual as pessoas precisarão do seu produto, diferencial diante da concorrência, possíveis concorrentes, se a ideia é escalável (fácil de replicar e com potencial de crescimento), entre outros. A partir dessas premissas já dá para ter um plano de negócio e uma visibilidade sobre o mercado”, explica. Seguindo a linha de raciocínio de Marcelo, os empresários são unanimes com alguns cuidados para o negócio dar certo. Confira três dicas:

 1-Plano de negócio

Talvez essa seja a etapa mais importante para o investidor. Definir os objetivos, o capital de abertura, a análise do mercado e concorrência, e a análise de tudo que a empresa irá oferecer são pontos cruciais para o sucesso de uma ideia e seu funcionamento. Ao colocar no papel tudo o que foi definido, é possível verificar se a ideia tem potencial de se tornar um negócio ou não.

2- Pesquisa sobre o mercado

Pesquise e descubra se a sua ideia de negócio tem aceitação no mercado, se há uma necessidade real por ele.  Desvendar e entender o seu segmento de negócio é a principal dica antes de dar início à abertura. Conhecer mais sobre a concorrência, saber sobre as fraquezas e forças dele, também faz parte desse processo.

3- Planejar os custos de abertura

Abrir uma empresa envolve alguns custos, como emissões de declarações e de documentação. No caso de uma unidade de franquias é necessário avaliar itens como a taxa de instalação e os materiais necessários para iniciar o negócio. Por isso, em vez de começar despreparado a abertura do seu negócio é importante que você levante e planeje quais serão os custos para que sua empresa possa estar regularizada e funcionando sem desfalques.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.