Empresários esperam que o novo governo priorize a reforma tributária

redacao 15/03/2011
redacao 15/03/2011

Para os empresários e executivos brasileiros o ajuste das leis tributárias deveria ser a prioridade número um da nova administração. Segundo levantamento feito no mercado brasileiro pelo International Business Report 2011 (IBR) da Grant Thornton, 36,1% acreditam que a regulamentação dos impostos deve fazer parte das primeiras tarefas da atual presidência.

“O resultado da pesquisa já era esperado e certamente reflete a preocupação não apenas dos empresários e investidores brasileiros, mas também a dos investidores estrangeiros, da população e dos profissionais que atuam na área tributária, uma vez que a nossa carga tributária é uma das mais altas no mundo. Mesmo assim é importante ressaltar os grandes avanços como a convergência das normas contábeis para o IFRS e lembrar que as empresas precisam estar atentas a inúmeros incentivos fiscais que podem usufruir, mas que nem sempre são de conhecimento das companhias e profissionais que atuam no setor”, diz Fernando Lima, sócio de tributos da Grant Thornton Brasil.

Em segundo lugar aparece a redução das despesas públicas (22,2%) seguida do investimento em educação (19,4%). Com a proximidade da Copa do Mundo, em 2014, e das Olimpíadas, em 2016, 11% dos executivos consideram que os investimentos em infraestrutura deveriam ser a primeira preocupação da nova presidente.

Apenas 6,9% acreditam que a oferta de mais crédito para pequenas e médias empresas deveria ser priorizada e 2,8% querem que a continuidade das políticas sociais seja o mais importante nesse início de mandato. A limitação do salário mínimo à inflação foi citada por menos de 1%.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.