Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Estudo mostra dados da internacionalização dos pequenos

redacao 20/11/2013
redacao 20/11/2013

Pesquisa do Sebrae aponta motivações e barreiras que influenciam na exportação de produtos e serviços mineiros

Estados Unidos, Argentina e China são o principal destino dos produtos e serviços exportados por micro, pequenas e médias empresas mineiras. Dos empreendimentos no estado que vendem para outros países, 51% são de micro e pequeno porte, no entanto, representam apenas 0,8% do valor total exportado. As barreiras e as motivações que impulsionam os pequenos negócios a exportarem são apontadas pela pesquisa do Sebrae em Minas Gerais sobre a Internacionalização dos Negócios.

De acordo com a pesquisa feita com 245 empresários mineiros, as principais dificuldades internas encontradas para exportar são: custo alto em transporte e serviços (63%), dificuldade em oferecer crédito aos clientes (48%) e problema para exercer um controle efetivo sobre os intermediários (46%). Já as barreiras externas levantadas foram: variação na taxa de câmbio (66%), concorrência externa (63%) e os trâmites para exportar (58%).

Por outro lado, os empresários informaram que as principais motivações para comercializar no exterior são a demanda internacional frequente por seu produto e serviço (47%), expansão do negócio (41%) e a diversificação do mercado (29%).

Em relação a gestão do negócio, o estudo destacou tanto os aspectos que favorecem, como que vão na contramão da exportação. Entre os pontos fortes das empresas estão o foco na oferta de novas linhas de produtos e serviços e a utilização de estratégias competitivas. Já a tendência de favorecimento de projetos de baixo risco com rendimento certo, a postura cautelosa diante das incertezas e a propensão para desenvolver projetos de baixo risco são aspectos que desfavorecem a exportação.

Para os próximos cinco anos, as metas das empresas exportadoras envolvem: expansão dos negócios por meio de novos investimentos, atendimento a novos mercados e aumento da participação no mercado interno. A pesquisa também avaliou o perfil do empresário e da empresa que exporta. De acordo com o estudo, 68% dos entrevistados são homens, em média com 41 anos e em sua maioria (80%) possuem graduação ou pós-graduação completa. Além disso, a participação de familiares na gestão do negócio é expressiva (55,5%) e 41% têm mais de 20 anos de mercado.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.