Evento promove discussão sobre o terceiro setor

Festival ABCR começa em São Paulo e fomenta temáticas relacionadas ao segmento de captação de recursos que movimenta cerca R$26 bilhões por ano

Redação 18/05/2017
Redação 18/05/2017

Que o povo brasileiro é acolhedor e solidário por natureza é de conhecimento de todos, No entanto, uma pesquisa recente revelou que o engajamento social no Brasil é de fato surpreendente, chegando a um valor correspondente à 0,23% do PIB, isso levando em conta apenas as doações de pessoas físicas, incluindo no montante as doações de empresas, o total movimentado pelo segmento chega a impressionantes R$26 bilhões.

A Pesquisa Doação Brasil, que foi desenvolvida pelo Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), constatou ainda que mais da metade dos brasileiros se compromete com doações à diversos tipos de causas e instituições, a pesquisa ouviu cerca de 2.500 pessoas com mais de 18 anos e com renda a partir de um salário mínimo.

Segundo Ader Assis, co-fundador do grupo Ader&Lang, o número é significativo e representa uma evolução, entretanto, quando o mercado brasileiro é comparado com os mercados internacionais como Estados Unidos e Reino Unido, existe ainda um potencial de dobrar esse valor à medida que o setor se profissionaliza.

De acordo com a co-fundadora do grupo Ader & Lang Flavia Lang, as pessoas são solidárias mas ainda doam de forma desorganizada.  A profissionalização da área de captação de recursos de pessoas físicas é muito recente e poucas são as organizações desenvolvidas nessa área. Ainda existe uma necessidade imensa de  mão de obra qualificada.

O fato é que vivemos em um país com grandes diferenças sociais e as ONG´s e associações são cada dia mais necessárias para tornar o desenvolvimento comunitário mais próspero e efetivo.

Acontece de 17 a 19 de maio, no Amcham Business Center, o Festival ABCR, um evento com foco em captação de recursos e que está na sua nona edição. A organização do evento estima que mais de 500 pessoas, entre profissionais da área da captação e mobilização de recursos, gestores de associações e fundações, acadêmicos, estudantes e pesquisadores participem do festival.

Ano a ano, o principal objetivo do evento é fomentar o desenvolvimento do setor de captação no Brasil como um todo – durante os dias do evento, especialistas nacionais e internacionais de diferentes áreas dentro da captação compartilharão conhecimento, experiências, casos de sucesso e fomentarão a discussão de como as organizações podem captar mais e melhor – ou ainda iniciar seus planos de captação. Neste sentido, a Ader&Lang, o único grupo de gestão e comunicação brasileiro focado em terceiro setor, partilha o objetivo com o Festival ABCR, o que motivou os sócios da agência Flávia Lang e Ader Assis a se prontificarem a, não apenas apoiar o evento, mas também a ser um dos principais patrocinadores.

“Nesta edição estamos particularmente envolvidos na organização do evento como um todo. Organizamos a plenária de abertura que trará para reflexão, questões importantes da atualidade como o novo papel das ONGs dentro de um cenário global de crescente descrença nas instituições como um todo – descrença em governo, mídia, empresas e inclusive ONGs”, destaca Flavia Lang.

Segundo Marcelo Jambeiro, especialista em fundraising da Ader&Lang e um dos idealizadores do painel, é importante trazer para a discussão alguns aspectos urgentes como a crise de representatividade [o indivíduo se vê cada vez menos representado por meio das instituições] e também o cenário de crescente desconfiança nestas organizações. Por outro lado, vemos o surgimento de um indivíduo cada vez mais empoderado, bem como o surgimento de novos modelos de organizações da sociedade civil. “Precisamos diminuir o “gap” entre instituições e indivíduos por meio de modelos que incluam os doadores”, afirma Jambeiro.

Os temas abordados nas palestras e máster classes serão variados, mas todos têm o propósito de levar ao público o detalhamento de grandes cases que conseguiram um grande impacto, não apenas no número de doadores, mas no investimento dos recursos arrecadados, cumprindo o papel diferencial no desenvolvimento social e educacional.

Um ponto importante a se destacar nesta edição do evento é a preocupação em promover a capacitação profissional para fomentar o setor e solidifica-lo ainda mais.   “Alguns dos principais desafios que temos que superar para acelerar este crescimento é formar e capacitar profissionais de captação e promover a troca de informação entre todos os agentes do setor. Neste sentido, os sócios da Ader&Lang apoiaram o Festival desde  a primeira edição e iniciamos o apoio da empresa logo que fundamos. O Festival vem aprimorando junto com o comitê ano a ano o conteúdo programático a fim de fomentar a troca de experiência e informações tão necessária no setor. Dentro deste cenário de crescimento no investimento social, as organizações que estiverem mais preparadas do ponto de vista de conhecimento, capacitação de suas equipes internas, estruturação de áreas e sistemas internos de suporte, serão as que mais obterão sucesso”, declara Ader Assis.

Outro aspecto que será trabalhado no festival é o engajamento de grandes empresas em causas sociais e como esta mobilização reflete tanto na sociedade, quanto nas empresas doadoras.

“Há quem imagine que as empresas, que são grandes doadoras, se engajam nas causas motivadas por algum benefício fiscal, ou algo do tipo, o que na realidade não existe. É fato que algumas empresas buscam causas que podem oferecer algum ganho de branding ou marketing, mas via de regra as empresas se engajam em doações e apoios à fundações e associações porque entendem a necessidade de fazer a diferença e o impacto real que o investimento no terceiro setor pode proporcionar ao desenvolvimento social e que repercute de forma intangível, mas muito positiva para as marcas e seus colaboradores”, explica Thiago Massagardi, especialista em grandes doadores da Ader&Lang e um dos palestrantes do Festival ABCR.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.