Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Faturamento de farmácias cresce em 2016

Os dados referidos são relacionados à venda unitária de medicamentos

Redação 15/03/2017
Redação 15/03/2017

As vendas de medicamentos em farmácias também sentiram os reflexos da crise econômica no país em 2016, mas em um ritmo muito menor que os demais setores da economia. Enquanto grande parte sofreu com a redução de mercado, as farmácias apenas observaram uma desaceleração nas vendas de medicamentos comparado a 2015.

e Segundo dados da Close Up International, o faturamento das farmácias cresceu 12,9% em 2016, passando dR$57 bilhões comercializados em 2015 para R$64,4 bilhões. No período anterior, o crescimento tinha sido de 13,2%. Por mais que a diferença possa parecer pequena, um fator que deve ser considerado é a alta nos preços de medicamentos.

“Ao avaliarmos o faturamento, temos que considerar que os preços dos remédios subiram em até 12,5% em 2016, já em 2015, o reajuste máximo autorizado foi de 7,7%. Isso fez com que os valores negociados fossem altos, contudo, ao considerar a venda de medicamentos por unidades, também se observa um crescimento, mas em proporção menor”, explica o presidente da Febrafar, Edison Tamascia.

Os dados referidos são relacionados à venda unitária de medicamentos, que havia tido um crescimento de 8,3% em 2015 em relação a 2014, mas que, em 2016, só observou crescimento de 3,3%. Em números, isso representa que, no ano passado, foram vendidos 4,7 bilhões de medicamentos frente 4,5 bilhões em 2015.

Para 2017, as expectativas são de continuidade no crescimento de vendas, mas com impacto menor no faturamento. “O mercado para venda de medicamentos em farmácias tem muito a crescer no Brasil, pois o consumo ainda é muito abaixo do que outros países. Por outro lado, o crescimento no faturamento será menor, pois a prévia de reajuste de preços para este ano é de 3,4%”, explica o presidente da Febrafar.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.