Ferramenta importada auxilia no gerenciamento de empresas familiares

redacao 19/06/2013
redacao 19/06/2013

Estimativas indicam que 8% da poupança brasileira estão sob os cuidados dos Family Offices, organizações independentes dos grandes bancos, criadas para facilitar a administração e a preservação do patrimônio familiar das empresas nacionais.  O grande diferencial entre a ferramenta e o sistema bancário tradicional é o tratamento completamente personalizado. O sistema abrange uma estrutura montada com uma assessoria completa, que oferece produtos e soluções de cunho contábil, jurídico, financeiro, fiscal, tecnológico e logístico a todos os membros da família.

Traduzido ao pé da letra, o Escritório de Família é um centro de decisão e gerenciamento do patrimônio, que tem por objetivo aperfeiçoar a rentabilidade, minimizar os riscos, proteger o patrimônio e preservar os ativos. Para o advogado, mestre em Estratégia, especialista em Direito Empresarial e Tributário, Renato Vieira de Avila, o Family Office caracteriza-se pela transparência e ampla comunicação aos envolvidos, com o objetivo de minimizar a assimetria de informações e conflitos. “O Family Office previne que alguns membros da família saibam mais dos negócios que outros, sem, no entanto, desrespeitar o ‘direito à agenda oculta’ para não abrir mão do sigilo dos assuntos de foro íntimo, típicos da família”, explica o especialista.

Composto por profissionais qualificados, familiares ou não, o Family Office poderá localizar-se dentro da estrutura operacional da empresa familiar, a fim de propiciar a confidencialidade dos temas tratados e a privacidade da família.

Para cada necessidade das empresas familiares, existem diferentes modelos de escritório de família a se aplicar: os Multi Family Office Full Service, que são prestadores de serviços terceirizados, e os Multi Family Office, especializados em determinados serviços, tais como assessoria financeira voltada ao gerenciamento de investimentos ou serviços jurídicos objetivando a estruturação de holdings (familiares, patrimoniais e operacionais), planejamento sucessório e tributário.

O que a família quer

Os Family Offices vão além do aconselhamento financeiro ou orientação sobre a sucessão familiar e patrimonial. Os escritórios trabalham para os interesses dos familiares envolvidos.

“As ações podem ser direcionadas para garantir objetivos pessoais, além dos financeiros, como aquisição de um carro zero todo ano ou realização de uma viagem internacional a cada semestre”, explica Avila.

Características

Um family office deve ter em sua equipe de profissionais pelo menos um planejador financeiro com registro pessoal na Comissão de Valores Mobiliários, outro com certificado de gestor, um consultor de investimentos e um analista de investimentos.

Algumas demandas que podem ser administradas pelos Family Offices:

·         Documentação pessoal como Cédulas de Identidade, certidões de nascimento, casamento e óbito, título de eleitor, certificado de reservista, passaportes e vistos internacionais, etc.;

·         Declarações de Imposto de Renda, carnês de IPTU, IPVA e outros documentos fiscais;

·         Documentos de automóveis, embarcações e aeronaves;

·         Matrículas e escrituras imobiliárias;

·         Contratos e Estatutos sociais;

·         Balanços empresariais;

·         Acordos sociais;

·         Atas de Assembleias;

·         Despesas com escolas, idiomas, TV a cabo, celulares, combustível, cartão de crédito, publicações, aluguéis;

·         Documentos bancários e financeiros;

·         Investimentos financeiros (CDB, renda fixa e ações);

·         Previdência;

·         Agendamento de viagens, passagens aéreas, hospedagem;

·         Despesas médicas;

·         Seguros;

·         Tecnologia da Informação e Comunicação;

·         Auditoria;

·         Consultoria;

·         Eventos sociais e lazer;

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.