Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Ferrugem do milho deixa produtores do Paraná em alerta

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

Segundo dados da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná – SEAB, a produtividade média do milho verão é a maior já apresentada no Estado, com 7,2 mil quilos por hectare. Para dar continuidade ao bom desempenho da cultura na safrinha, os produtores devem, porém, estar alertas para o manejo preventivo voltado para o controle da ferrugem do milho, pois os primeiros focos da doença já foram detectados no Estado, com maior severidade nas regiões de Cascavel, Cafelândia e Corbélia.

"Nesta área do Paraná o plantio de milho safrinha é muito expressivo, aproximadamente o mesmo da safra normal (60 mil hectares) e as condições climáticas locais são muito favoráveis ao desenvolvimento de doenças folhares como a ferrugem do milho", avalia o Engenheiro Agrônomo e Coordenador do Departamento Técnico da Coopavel – Cooperativa Agroindustrial, Itacir Afonso Tosin, "Uma das principais recomendações ao produtor é, a partir da detecção precoce da doença, aplicar o fungicida antes da fase do pendoamento da planta, quando elas estão com 80 a 100 cm (V8 a V10), evitando assim a quebra da sua estrutura e conseqüentemente as indesejáveis perdas na produção", alerta Itacir.

Na fazenda Nossa Senhora Aparecida, em Corbélia/PR, a experiência com o controle preventivo já fez diferença. O produtor Nei Antônio Backes utilizou o fungicida Nativo na safra anterior e controlou a ferrugem do milho, o que resultou em ganhos de cerca de 20 sacas a mais por hectare. "Em nossa fazenda a opção pelo controle preventivo deu resultado na safra de verão e agora na safrinha seguiremos o mesmo procedimento. O ideal é aplicar logo no início da detecção e expandir o manejo preventivo em todo plantio", afirma o produtor. Backes complementa ainda que o aumento na produtividade é uma meta que todo produtor rural busca alcançar, mas que no caso de aplicação de defensivos é importante contar com uma assistência técnica qualificada.

A ferrugem do milho é uma doença causada pelo fungo Puccinia polysora, que se dissemina rapidamente pela planta e destrói sua capacidade de realização da fotossíntese, além de provocar perda de peso dos grãos, fato que implica em grande prejuízo econômico para o agricultor. Fatores como a implantação de áreas de milho safrinha próximas de lavouras de verão ainda não colhidas, o plantio de híbridos sensíveis e as condições climáticas propícias (com temperaturas elevadas e umidade relativamente alta) podem ter contribuído para a propagação da doença no Paraná. Após a entrada na lavoura, a ferrugem do milho se manifesta de quatro a sete dias, aproximadamente. Ela é percebida com o aparecimento de pústulas ou erupções de cor avermelhada/marrom, principalmente na parte superior da folha. Estas pústulas se proliferam rapidamente em número e tamanho, dominando toda a área de fotossíntese da folha e provocando sua degradação.

Para o Agrônomo de Desenvolvimento de Mercado da Bayer CropScience, Otair Menegazzo, é importante lembrar que na safrinha de 2007 os produtores já arcaram com os prejuízos de até 60% na produção das áreas em que ocorreu a ferrugem do milho. "Pelas condições similares à safrinha do ano passado, as perdas podem chegar ao mesmo patamar se não for realizado o controle preventivo da doença", explica.

Solução para ferrugem do milho

Lançado em 2007 para a cultura do milho, o Nativo é uma combinação inovadora de dois importantes princípios ativos que se completam para ampliar a proteção da lavoura. No milho, o produto é indicado para o controle do complexo de doenças, entre elas a ferrugem.

Possui duplo modo de ação, sendo mesostêmico e sistêmico, o que caracteriza sua atuação em todas as fases de desenvolvimento dos fungos e diminui o risco de resistência à doença. Outro diferencial é que a solução pode contribuir para o aumento de produtividade e o crescimento dos frutos com alta qualidade. Isso porque o Nativo preserva todo o ciclo da cultura e propicia plantas mais sadias e folhas mais verdes por muito mais tempo.

O Nativo integra o Muito Mais Milho, programa de uso desenvolvido pela Bayer CropScience, para atender às necessidades específicas de cada produtor. O programa é flexível e pode ser adaptado às peculiaridades de cada região, oferecendo aos produtores as soluções inovadoras da empresa que, somadas à assistência técnica especializada, colaboram para o manejo mais adequado das lavouras.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.