Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Financiamento de veículos bate recorde e atinge R$114 bilhões em janeiro de 2008

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

Somente no mês de janeiro o saldo acumulado das carteiras de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e Leasing para aquisição de veículos apresentaram crescimento de 44,2% em relação a janeiro de 2007, atingindo a marca de R$ 114,1 bilhões. Deste montante, R$ 83 bilhões foram para financiamentos por meio de CDC, com aumento de 28,8% em relação ao mesmo período do ano passado, e R$ 31,1 bilhões por meio de Leasing, crescendo 113% .

"Este ano iniciou aquecido, reflexo ainda dos bons resultados de 2007. O saldo total das carteiras, que somam R$ 114,1 bilhões, já representam cerca de 35% do total de crédito para o setor concedido pelo Sistema Financeiro Nacional para pessoas físicas", ressalta Luiz Montenegro, presidente da Anef.

As taxas de juros praticadas pelos bancos das montadoras no período apresentaram pequena elevação, alcançando 21,27% a.a. contra 19,42 a.a., registrado em dezembro de 2007, ao passo que no mercado em geral as taxas de juros ficaram em torno de 31,23% a.a. no primeiro mês de 2008. "As turbulências do mercado financeiro mundial levaram a uma pequena elevação nas taxas de juros, que devem voltar aos índices registrados no final de 2007", completa Montenegro.

O levantamento da Anef registra também que não houve mudança nos planos de financiamento em janeiro de 2008, se comparados ao fim de 2007. O plano máximo oferecido foi de 84 meses, sendo que a média optada pelos consumidores continua em 42 meses. Somente se comparado a janeiro do ano passado, os planos apresentaram elevação. Na época o plano Maximo ficou em 72 meses e a média em 39.

Já a inadimplência acima de 90 dias apresentou pequena elevação se comparado a dezembro de 2007, passando de 3,01% para 3,09% da carteira. Porém, se comparado ao primeiro mês do ano passado, a inadimplência registrou queda, indo de 3,24% para os 3,09% já mencionados.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.