Franquia promete solucionar problema da falta de profissionais na construção civil

redacao 16/04/2012
redacao 16/04/2012

Inovador e atento às dificuldades do setor, empresário paulista lança modelo de franquias que promete solucionar o problema da falta de profissionais capacitados no mercado

Segundo pesquisa realizada recentemente pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), cerca de 70% das empresas no Brasil sofrem com a falta de mão de obra no setor da construção civil. Ainda mais alarmante é o número de contratados que obtiveram formação profissional anterior: apenas 18%. O déficit de profissionais capacitados, comumente chamado de “apagão da mão de obra”, afeta negativamente todos os departamentos de uma empresa, prejudica o setor da construção ao provocar a queda no nível de atividade do segmento e eleva os preços de produtos e serviços ao consumidor final.

Para driblar o problema, construtoras estão buscando haitianos recém chegados ao Brasil pelo Acre com algum tipo de habilidade no setor. De acordo com informações do governo acreano, pelo menos duas dezenas de empresas já fizeram contato em busca de informações sobre a possibilidade de contratação dos imigrantes e algumas já contrataram, como é o caso de construtoras do Rio Grande do Sul. Os cargos disponíveis oferecem média salarial de R$ 850 e benefícios que incluem alojamento, alimentação e transporte. “A situação evidencia que há vagas disponíveis, porém faltam profissionais aptos a ocupá-las”, declara o empresário David Pinto, criador e presidente da Doutor Resolve, rede de franquias que completou um ano recentemente e que já conta com mais de 500 franquias inauguradas.

Uma das soluções para suprir essa lacuna é o investimento em profissionalização por meio de cursos técnicos específicos para o setor, alternativa eficaz e com resultados em curto e médio prazo.

Atento às atuais dificuldades da construção civil no Brasil, o mesmo empresário acaba de lançar a primeira escola de cursos voltados para atividades do setor, o Instituto da Construção. A unidade piloto opera desde dezembro em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, oferecendo portfólio de cursos que incluem aulas de elétrica, hidráulica, alvenaria, jardinagem, entre outros. “Já temos mais de 500 matriculados em apenas dois meses e meio, um resultado excelente para o período que antecede o Carnaval”, afirma o empresário, que acaba de fechar dez novos contratos de venda da franquia Instituto da Construção para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Ceará, Maranhão, Goiás e Rio Grande do Sul. “A expectativa é inaugurar 100 unidades do Instituto em um ano e 500 unidades em cinco”.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.