Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Franquias apostam em quiosques para ganhar mercado

Mônica Pupo 20/03/2017
Mônica Pupo 20/03/2017

A migração das redes de franquias para regiões com um menor número de habitantes é cada vez maior. Com a saturação dos centros metropolitanos as marcas optam por desenvolver um plano de expansão que contemple cidades menores, porém em crescimento e com grande potencial econômico, mas pouco exploradas.

De olho nessas praças, as redes têm desenvolvido modelos de negócio compactos, adequados para estas praças com um menor número de habitantes, o que torna o investimento mais barato. Um formato que se destaca entre os demais são os quiosques. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), em 2016 houve um crescimento de 5,4% de redes que aderiram ao modelo.

O sucesso tem explicação. O modelo possui menor valor inicial para implantação, se comparado a uma loja tradicional, não exige obra de adequação, o que torna os custos de instalações e manutenção menores, e ainda tem a vantagem de não pagar “luva” (taxa cobrada pelos shoppings centers pelo ponto comercial).

Como parte da estratégia para entrar no mercado de franchising, a nova rede Crazy4Mugs especializada em presentes criativos como canecas e copos, surge como opção enxuta para quem quer investir no próprio negócio. “Os quiosques estão em locais de passagem e facilitam a visualização dos itens que comercializamos que são muito visuais. O consumidor pode observar de perto os produtos da rede em versões únicas, divertidas e temáticas”, completa.

Segundo o empreendedor, o quiosque é modular e, portanto se adequa a qualquer espaço disponível nos shoppings. O investimento varia entre R$ 88 mil e R$ 100 mil e a meta da rede é fechar 2017 com 25 unidades comercializadas e 2018 com 75 unidades. Em cinco anos, a previsão é de chegar a 250 pontos.

Outra rede que aposta no negócio enxuto é a Sóbrancelhas, rede referência em embelezamento do olhar e da face. A marca foi a pioneira em implantar quiosques de franquias no segmento de sobrancelhas e hoje 40% de unidades são neste modelo. “Optamos por esta inovação para pulverizar a marca em muitas regiões em um curto espaço de tempo. Não perdemos a qualidade, os quiosques são projetados para um bom aproveitamento do espaço dando a possibilidade de atendimentos simultâneos. São bem iluminados, possuem monitores interativos, vitrine personalizada para exposição dos produtos e o valor menor que uma loja tradicional”, completa Luzia Costa, fundadora da Sóbrancelhas. O investimento é de R$ 116 mil, e a marca espera aumentar o número de quiosques em até 40% em 2017.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.