Última edição Edição 262 January 2017 Assine

A gestão sobre si mesmo e como evitar a autossabotagem

redacao 26/04/2011
redacao 26/04/2011

Quantas vezes você foi dormir pensando \"amanhã eu começo!\" ou, ainda, na virada, sua mente está repleta de planos para o próximo ano, mas ele chega, passa e o plano continua confinado na sua mente? Saiba que os desafios nem sempre estão no ambiente externo. A nossa mente trabalha tanto a favor quanto contra, e somos nós o seu comandante. Tudo é deflagrado por um querer.

O pensamento tem o poder de nos levar a qualquer lugar. O lado positivo deste fato é que por meio dele sabemos que não há limites para a imaginação. Sempre podemos ir adiante. O negativo, é que se não houver controle, ele nos tira constantemente do foco. Esta é uma situação que não nos coloca na condição de reféns de nós mesmos e o desafio é saber como assumir o controle da própria mente.

Quem já teve a oportunidade de participar ou se envolver em um planejamento estratégico sabe que só se atinge uma meta construindo-a gradativamente, ou seja, a cada dia, a cada período é preciso dar um passo adiante. Conosco não é diferente, mas a dificuldade está na disciplina.

Na empresa temos a tendência de sermos mais disciplinados por conta do comprometimento que acabamos assumindo com os demais. Somos comprometidos porque há um grupo de pessoas trabalhando em conjunto e há aquelas que assumem o posto de organizar e controlar o cumprimento de cada etapa, contribuindo de alguma maneira, seja persuadindo, incentivando ou mesmo intimidando para dar o melhor de si para que se atinja um bem maior, que é a meta da empresa.

Ser rotulado como a parte \"manca\" ou que não teve a capacidade de atingir o objetivo nunca soou bem para ninguém, o que nos deixa mais atentos e disciplinados. Já quando o objetivo é pessoal, acabamos sendo mais flexíveis, retardando o nosso próprio desenvolvimento e assumindo as desculpas como verdades ou como barreiras realmente intransponíveis.

Quando isso acontece, não adianta procurar lá fora. O que ocorreu de fato foi uma autossabotagem e você acabou ficando na mesma condição de início e não se desenvolveu como planejara.

A gestão sobre si mesmo não é atividade fácil e não tem um fim. Querer e disciplina não são apenas palavras, mas atitudes que fazem a diferença entre o chegar lá e marasmo que porventura estejamos vivendo. Muitas vezes, encontramos dificuldades até em definir um objetivo pessoal. Quanto a isso, lembre-se que a vida é um espaço de tempo, com começo, meio e fim.

Os dias que já se foram são a sua melhor base para saber como poderão ser os dias que virão. Para entender, é bem simples: analise como eram as suas atitudes antes e como elas são agora. Alguma coisa mudou? Se forem as mesmas é provável que a sua vida antes e agora seja a mesma e com a probabilidade que o tempo que lhe resta seja vivido da mesma forma. Sendo assim, o percurso da vida tem maior probabilidade de mudar se você agir sobre si mesmo.

Por outro lado, traçar um objetivo simplesmente porque alguém lhe disse que isto é importante, também não faz sentido. Você deve tomar as decisões levando sempre em consideração o que realmente quer e gosta de fazer. Qual o mérito de se atingir um objetivo que não lhe traga nenhuma satisfação pessoal? Você não pode enganar a si mesmo.

Vencer o próprio eu é criar condições para se conhecer. É identificar as coisas que lhe dão mais prazer. É viver a vida da maneira que o faça se sentir melhor para degustar cada dia.

Alguns podem considerar que se sentem bem como estão e isto não os incomoda. Realmente, não há nada de errado com isso, mas é provável que estejam vivendo conforme o movimento das ondas, ora para cima, ora para baixo, ora para um lado, ora para outro. Deixar a vida a mercê do destino pode ser uma escolha, mas você tem que estar de bem consigo e ter certeza que isto não é sinônimo de acomodação, porque, no mundo profissional, esta é uma palavra que não soa bem.

A mente é a melhor ferramenta que temos para atingir nossos objetivos e ela buscará aquilo que nos satisfaz, mas é preciso saber controlá-la. Ao nascermos, não recebemos nenhum manual de instrução e vamos aprendendo a utilizar a mente, usando-a. Cada um tem sua forma de pensar e age seguindo o processamento que ocorre dentro do próprio cérebro.

Ninguém pode pensar por você e o pensamento é sua propriedade. Diante disso tudo o que faz a diferença é conseguir transportar o pensamento para uma atitude e esta atitude transformá-la em disciplina. Ao se disciplinar você passa a controlar melhor a sua mente e ela começa a trabalhar a seu favor, dia após dia. Se você ainda tem dúvidas, pelo menos tente, tome esta atitude e perceba o quanto você é capaz de fazer por você.

Jamir Booz é consultor da Nível 10 Consultoria Empresarial.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.