IBGE eleva previsão da safra 2008 e aumento deve superar 9%

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) elevou a previsão da safra 2008, para 145,1 milhões de toneladas, segundo dados divulgados nesta nesta quinta-feira, 7. A projeção é 1% maior do que a estimativa anterior, e representa uma safra estimada 9% superior a de 2007, quando foram colhidas 133,1 milhões de toneladas.  A estimativa mantém a previsão de safra recorde neste ano. A área plantada esperada (47,3 milhões de hectares) é 4,3% maior que a do ano passado.

Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgados também nesta quinta confirmam que que a produção nacional de grãos 2007/08 deve ser recorde, com 143,7 milhões de toneladas. A quantidade é 9,1% maior que o da safra passada, que foi de 131,8 milhões toneladas, e 0,9% superior à pesquisa de julho, projetada em 142,4 milhões de toneladas, de acordo com o décimo primeiro levantamento da safra.

Segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE, a revisão em julho resultou especialmente "a reajustes das culturas de verão com a colheita concluída, às reavaliações do sorgo, milho e feijão 2ª safras e, ainda, ao acréscimo no plantio do feijão 3ª safra e das culturas de inverno, como o trigo, decorrentes dos bons preços praticados".

Para a Conab, o crescimento deve-se ao fato da previsão de uma queda acentuada na produção de milho no Paraná, decorrente das geadas que atingiram o Estado no mês de junho, não ter se concretizado. Segundo a Conab, o milho é a principal cultura desse cenário, sendo a boa produtividade da primeira safra, com a colheita já encerrada no Centro-Sul, e o aumento do milho safrinha no Paraná, os maiores responsável pelo bom desempenho. Os preços atrativos da commodity no mercado e o melhoramento tecnológico no campo também são outros aliados pela manutenção da maior safra da história.

No que diz respeito à área plantada, as culturas investigadas que ocupam as maiores áreas em 2008 são a soja (21,3 milhões de hectares), o milho (14,4 milhões de hectares) e o arroz (2,9 milhões de hectares). O somatório das safras destes três produtos representa 90,0% da produção nacional de grãos estimada para o ano.

No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE de julho destacam-se as variações nas estimativas de produção, em relação a junho, do arroz em casca (-1,3%), café em grão (0,3%), feijão em grão (1,6%), laranja (3,4%), milho em grão (1,9%), soja em grão (0,4%), sorgo em grão (3,0%) e trigo em grão (3,2%).

Na comparação com a safra 2007, segundo o LSPA de julho, entre os 25 produtos analisados, 19 apresentam alta na estimativa de produção em relação ao ano anterior: amendoim em casca 1ª safra (29,9%), amendoim em casca 2ª safra (0,8%), arroz em casca (9,6%), aveia em grão (14,8%), batata-inglesa 1ª safra (0,3%), batata-inglesa 2ª safra (20,0%), batata-inglesa 3ª safra (3,5%), cacau em amêndoa (7,4%), café em grão (27,7%), cana-de-açúcar (14,2%), cevada em grão (1,1%), feijão em grão 2ª safra (40,6%), laranja (0,4%), mamona em baga (63,6%), milho em grão 1ª safra (10,9%), milho em grão 2ª safra (17,3%), soja em grão (3,6%), sorgo em grão (31,5%) e trigo em grão (32,5%).

Com variação negativa estão o algodão herbáceo em caroço (2,6%), cebola (2,1%), feijão em grão 1ª safra (7,8%), feijão em grão 3ª safra (1,8%), mandioca (3,2%) e triticale em grão (2,8%).

@@@

Trigo em destaque

A soja e o milho representam 83,% da produção total de grãos, sendo o primeiro com 60,1 milhões de t, alta de 2,9% em relação a safra anterior, e o segundo com 58,5 milhões de t, alta de 13,8%.

O feijão total também registra aumento de 6,1% em relação ao período anterior, devendo chegar a 3,5 milhões de t. A exceção é o feijão 1ª safra que teve diminuição de 20%, devido à estiagem nas principais regiões produtoras, ficando em 1,26 milhão de t. Já a leguminosa da 2ª safra, totalmente colhida, é de 1,47 milhão de t, ou 47,3% a mais. O feijão da 3ª safra, que começou a ser colhido em julho e vai até setembro, deve aumentar 6% e alcançar 821,6 mil t.

O arroz teve a área reduzida, mas a produção aumentou 7% sobre o ciclo passado e deve atingir 12,1 milhões de t. O algodão em caroço é outra cultura com bom desempenho, saindo de 2,38 milhões para 2,45 milhões de t, aumento de 2,7%.

Entre os produtos de inverno para a safra 2009, o trigo é o de maior destaque e está estimado em 5,4 milhões de t, 41,9% a mais que última safra, de 3,8 milhões de t. O crescimento da área, aliada aos preços estimulantes e medidas governamentais de incentivo estão entre os principais fatores dessa expansão.

A Conab também informa que a área plantada em todo o país é de 47,25 milhões de hectares, ou 2,2% maior que a do ano passado, que foi de 46,2 milhões de ha. As terras ocupadas pelo milho total cresceram 4,3% (de 14,1 para 14,7 milhões de ha) e pela soja 3% (de 20,7 para 21,3 milhões ha). Por outro lado, o feijão total reduziu 2,8% (de 4,09 para 3,97 milhões ha) e o arroz 3% (de 2,97 para 2,88 milhões ha). O estudo foi realizado por 79 técnicos da Conab, entre os dias 14 e 18 de julho, nos principais estados produtores. Eles conversaram com produtores rurais e representantes de cooperativas, sindicatos, órgãos públicos e privados.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.