Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Inadimplência com cheques cresce 2,13% em março

redacao 19/04/2011
redacao 19/04/2011

Varejo volta a usar pré-datado para financiamento ao consumidor

A inadimplência com cheques cresceu 2,13% em março, segundo o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos, divulgado nesta segunda-feira (18). Dos mais de 88 milhões de cheques processados em março, 1,88 milhão estava sem fundos, segundo a entidade. É o terceiro mês consecutivo de aumento. Em fevereiro, o percentual de devoluções foi de 1,83%, e em janeiro, 1,70%.

Nos primeiros três meses do ano, 255,1 milhões de cheques foram compensados, mas apenas 1,89% deles (4,8 milhões) não tinham fundos. Em 2005, último ano que o número ficou abaixo disso, foram 1,74%, e no ano passado, no mesmo período, a taxa ficou em 1,92%.

A principal razão, segundo comunicado da empresa, é a grande pressão no orçamento familiar, como o pagamento de parcelas do IPVA, do material escolar e dos gastos com férias e carnaval.

Além disso, em 2011 estão pesando os fatores conjunturais, como o aumento da inflação, que reduz o poder aquisitivo do consumidor, e o aperto monetário, fundamentado nos juros altos para controle dos preços, o que também encarece o crédito.

Segundo a assessoria econômica da Serasa, além da elevação dos juros também foi ampliada a alíquota do IOF. Com isso, alguns estabelecimentos do varejo voltaram a utilizar o cheque pré-datado para o financiamento ao consumidor.

“Nesse sentido, é importante destacar que o cheque pré-datado é venda a prazo e deve ser recebido com todos os procedimentos recomendados a um financiamento. Recebê-lo como venda à vista é uma das razões para o crescimento da incidência de cheques sem fundos”.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.