Inadimplência das empresas tem alta de 19% em 2011, diz Serasa

redacao 30/01/2012
redacao 30/01/2012

 A inadimplência das empresas cresceu 19% em 2011 na comparação com 2010, a maior elevação desde 2009, ano do agravamento da crise econômica internacional — quando havia subido 25,1% ante 2008.

Em dezembro, a alta ficou em 23,7% ante o mesmo mês do ano anterior. Já na relação com novembro, foi verificada queda de 4,1%, segundo indicador divulgado nesta segunda-feira pela Serasa Experian.

Entre os motivos para o cenário, os economistas da Serasa apontam "o aumento da inflação, que pressionou os custos dos negócios, os juros elevados, que tornaram o capital de giro mais caro e a queda da atividade econômica no segundo semestre, dificultando as vendas e ampliando os estoques."

O aumento da inadimplência do consumidor, que elevou o risco de crédito e definiu perdas financeiras, também influenciou, dizem os especialistas.

A Serasa aponta, no entanto, que a queda na comparação de 4,1% no último mês de 2011 frente a novembro "pode ser um sinal de que a inadimplência das empresas está perdendo fôlego".

POR TIPO

A inadimplência nas dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) cresceu 28,3% em 2011 ante 2010. Já as bancárias cresceram 23%, os cheques sem fundos tiveram alta de 12,8% e os protestos subiram 10,9%.

Em 2011, as dívidas não bancárias tiveram um valor médio de R$ 744,01, o que representou um crescimento de 2,2% ante 2010.

As dívidas com bancos, por sua vez, tiveram em 2011 um valor médio de R$ 5.169,91, resultando em 9,7% de alta na relação com 2010.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.