Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Inadimplência do consumidor manterá trajetória de queda no começo de 2013, aponta Serasa

redacao 16/10/2012
redacao 16/10/2012

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor, cuja metodologia permite antever os movimentos cíclicos da inadimplência com seis meses de antecedência, recuou 1,5% em agosto de 2012, na comparação com julho/12, atingindo o valor de 94,8. Foi a décima queda mensal consecutiva deste indicador sinalizando que a inadimplência do consumidor, que tem exibido sinais de recuo neste segundo semestre de 2012, deverá manter sua trajetória de declínio também durante os meses iniciais de 2013, pelo menos.

Fatores como o barateamento do custo das dívidas, dadas as sucessivas reduções da taxa básica de juros (taxa Selic), o maior acirramento da concorrência bancária proporcionando condições mais vantajosas para o crédito ao consumidor, o patamar historicamente baixo da taxa de desemprego, a predominância de ganhos salariais acima da inflação nos acordos coletivos e o maior rigor por parte das instituições financeiras nos processos de análises e concessões de crédito, contribuirão para estabelecer uma trajetória gradual, porém consistente, de redução dos níveis de inadimplência dos consumidores.

Empresas

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência das Empresas, registrou queda de 1,5% no mês de agosto de 2012 em relação ao mês imediatamente anterior (julho/12), situando-se em 96,1.

A sequência de recuos mais tardios e menos intensos deste indicador, comparativamente ao dos consumidores, aponta para estabilização com posterior declínio da inadimplência das empresas ainda neste segundo semestre de 2012.

A normalização dos níveis de inadimplência dos consumidores, as perspectivas de um cenário de crescimento um pouco mais acelerado para a economia brasileira após um primeiro semestre de baixo dinamismo, e as reduções da taxa Selic conferindo menores custos financeiros tendem a configurar um quadro de estabilização com posterior queda do nível de inadimplência das empresas, apontam os economistas da Serasa Experian.

A série histórica deste indicador está disponível em: http://www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/indicadores_perspectiva.htm

Metodologia dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva

O objetivo dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva é antever, num horizonte de seis meses, em que fase do ciclo estarão as seguintes variáveis econômicas: (i) atividade econômica, (ii) concessões reais de crédito ao consumidor, (iii) concessões reais de crédito às empresas, (iv) inadimplência do consumidor e (v) inadimplência das empresas. Em geral, as variáveis econômicas apresentam ciclos compostos por quatro fases distintas: (1) expansão, (2) reversão, (3) crise e (4) recuperação. Os Indicadores Serasa Experian de Perspectiva mostrarão, justamente, a posição cíclica, para os próximos seis meses, de cada uma destas variáveis.

Cada Indicador Serasa Experian de Perspectiva é construído analisando-se o poder explicativo e a antecedência de explicação de um universo de 325 variáveis econômicas e financeiras sobre a variável-objetivo. Para tanto, todas as 325 variáveis “candidatas” bem como a variável-objetivo foram filtradas usando-se a técnica de ondaletas, a qual nos permite estudar as relações entre as variáveis “candidatas” a variável-objetivo em diversas escalas de tempo. Hoje, as ondaletas são adotadas em diversos campos, como a física (dinâmica molecular, astrofísica, geofísica – previsão de terremotos, mecânica quântica), processamento de imagem (análise de EEG e DNA, clima, reconhecimento da fala e visão artificial) e compressão de dados (o JPEG 2000 utiliza essa técnica).

No caso, são utilizadas as escalas de tempo compreendidas entre 16 a 32 meses e entre 32 a 64 meses, regiões em que se caracterizam os movimentos dos ciclos econômicos.

Para cada escala de tempo foram selecionadas, das 325 variáveis “candidatas”, aquelas que antecipam, de forma significativa, a variável-objetivo entre 6 e 18 meses de antecedência. Selecionadas as variáveis “candidatas”, estas foram agregadas mediante a aplicação de componentes principais, após terem sido colocadas na mesma fase de 6 meses em relação à variável-objetivo.

O resultado composto, isto é, em cada escala de tempo, dos modelos de projeção entre a variável-objetivo e os componentes principais, colocado em base 100, constitui o Indicador Serasa Experian de Perspectiva.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.