Investimento em sustentabilidade não reduz capacidade produtiva

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

É possível harmonizar a produtividade da empresa, bem como sua lucratividade, com as boas práticas ambientais. A conclusão foi possível por meio do estudo "Resultados dos 25 anos de Recuperação Ambiental de Cubatão", apresentado na última sexta-feira (25), durante evento realizado no Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), em Cubatão.

O trabalho foi realizado pelo engenheiro e consultor ambiental Eduardo San Martín. Trata-se da primeira demonstração numérica das melhorias ambientais atingidas pelo pólo industrial de Cubatão, que, desde 1983, investe em aprimoramento tecnológico e gestão eficiente.

Resultados

De acordo com os resultados, houve uma drástica redução nas emissões atmosféricas, no lançamento de efluentes líquidos, na captação de água, na geração de resíduos sólidos e na quantidade de resíduos incinerados ou depositados em aterros. A indústria tem investido, cada vez mais, em sistemas de reuso de água e reciclagem de resíduos.

Há 13 anos, não se registra estado crítico nas condições atmosféricas de uma cidade que, na década de 1980, carregou o fardo de ser um símbolo de degradação ambiental. Mas isso não significa que as indústrias pararam de produzir. Na realidade, as informações disponíveis mostram um aumento de 39% na produtividade, desde 1997.

As empresas de Cubatão investiram US$ 1 bilhão nas mudanças que permitiram tornar a produção mais limpa. Isso porque os últimos 25 anos constituíram um período difícil, em que se discutiu muito mais o controle inflacionário do que o desenvolvimento", sublinhou o autor da pesquisa.

"No momento, constatamos bons resultados desta aliança entre sociedade, lideranças do município e setor produtivo, trazendo resultados concretos que beneficiam a todos", afirmou o presidente da Fiesp e do Ciesp (Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf.

Já o diretor-titular do Ciesp de Cubatão, Marco Paulo Penna Cabral, destacou, na ocasião, a importância do Pólo Industrial de Cubatão. "É o único pólo brasileiro a reunir uma refinaria e uma siderúrgica. São 54 indústrias que geram 30 mil empregos e, em 2007, arrecadaram R$ 988 milhões em impostos".

Dados subestimados

Apesar dos bons resultados, Martín lamentou o fato de que alguns indicadores poderiam ter sido subestimados, por conta da medição recente. Os óxidos de nitrogênio, por exemplo, passaram a ser monitorados apenas em janeiro de 2007.

"Também é uma pena que não tenhamos dados que permitam acompanhar o crescimento produtivo de Cubatão desde a implantação do programa [de combate à poluição], em 1983", comentou ele. Como já foi citado, os dados acerca da produtividade passaram a ser coletados a partir de 1997.

Quando o desenvolvimento sustentável é possível
Para o secretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo Xico Graziano, desenvolvimento sustentável só é possível se houver uma agenda comum entre poder público e sociedade. E nada tem a ver com maquiagem ambiental. Significa investir no sistema produtivo para tornar a produção mais limpa. "Os desafios nunca acabam", finalizou.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.