Liderar é formar bons times

redacao 23/05/2012
redacao 23/05/2012

23|05|2012

Diante de um cenário de competitividade cada vez mais acirrada, de elevação das expectativas da família, do necessário reposicionamento das instituições de ensino no contexto contemporâneo, é de se imaginar que a missão do gestor escolar se torne cada vez mais complexa.

São muitos os desafios que se estendem por todas as áreas administrativas ou pedagógicas. Mas, nesse cenário de incertezas, há pelo menos uma convicção de base, que é o ponto de partida para qualquer liderança consistente: a necessidade de se formar um ótimo time.

Se, na escola de décadas passadas, o diretor dava o tom do trabalho, que era reverberado nas camadas de uma escala hierárquica rígida, hoje isso mudou radicalmente. Levar adiante um empreendimento na área educacional – e em todas as demais – é tarefa de uma equipe afinada, coerente, em busca de objetivos claros e comuns.

A questão é que não basta colocar anúncios em jornais ou procurar entre as “pratas da casa” aqueles que vão compor as equipes escolares, seja no âmbito administrativo, seja no espaço pedagógico. Os atributos da liderança mudaram, aproximando esses dois universos que antes eram paralelos. As faculdades não formam tais profissionais, e raramente esses talentos brotam por “geração espontânea”. Estamos no mundo onde as competências são desenvolvidas gradativa e continuamente.

Essa percepção vem sendo construída com clareza pelo Ético Sistema de Ensino. Temos ouvido de nossas escolas parceiras, espalhadas por todo o Brasil, em instituições das mais diferentes orientações, como se tornou vital (e difícil) esta arte de montar boas equipes. É um desafio que começa a ser enfrentado desde a hora da contratação – em que nem todos são bons profissionais – até a manutenção de um quadro estável. Isso passa pela valorização, pela formação continuada específica, não descolada dos objetivos estratégicos da instituição.

Dessa escuta nasceu o planejamento pedagógico das dezenas de eventos de formação de lideranças que realizamos país afora. Em breve, terá início mais uma série de seminários cujo tema central é exatamente este: formar equipes capazes de produzir sucesso na escola. Especialistas como Isabel Parolin, Vasco Moretto e Joe Garcia oferecerão diferentes perspectivas para esse tema urgente.

Nesse processo de aprendizado contínuo, todos embarcamos juntos. Assim como dentro da escola as diferentes competências se juntam para formar uma grande equipe, também em um grande sistema de parceiros, como são o Ético e os colégios que apostaram nessa proposta, há uma complementação de experiências, visões, expertises.
Na escola contemporânea, a qualidade é um sonho que se sonha junto.

Francisca Paris é pedagoga, mestra em Educação e diretora de serviços educacionais do Ético Sistema de Ensino (www.sejaetico.com.br), da Editora Saraiva

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.