Herdeiro se torna responsável por uma das maiores loja de tintas do Brasil

Filho de um dos fundadores da Tintas MC, Renato Sá começou sua carreira aos 16 anos no balcão da loja e hoje comanda a estratégia do grupo com 80 unidades

Redação 11/12/2017
Fachada da loja de tintas MC
Redação 11/12/2017

O paulistano Renato Sá, filho de Amilcar Sá, nasceu no meio de empreendedores. Na década de 1960 seu tio Manoel Sá, com os irmãos Armando e Amilcar, abriu a primeira loja de tintas voltada para o varejo na Zona Leste de São Paulo, no bairro da Mooca. Quando fez 16 anos, Renato fez um pedido ao pai: ele queria fazer parte da equipe da empresa. Amilcar considerou que o pedido do filho era apenas o chamado “fogo de palha” e o desafiou: poderia trabalhar sim, mas antes teria que tirar por conta própria a carteira de trabalho. Com a ajuda do primo, no dia seguinte, Renato tirou a carteira e foi falar com o pai.

O pai o contratou, começaria no dia seguinte, uma sexta-feira. Iniciaria no balcão da loja. Teria que atender clientes, carregar latas, descarregar caminhão. Amilcar queria saber se o filho resistiria até o final do dia. Mesmo sendo filho de um dos donos, Renato não poderia ter regalias, teria que cativar e fidelizar os clientes. O objetivo do pai era despertar no herdeiro o mesmo senso empreendedor que motivou os tios e ele e os levou ao êxito nos negócios.

O futuro empreendedor percorria aos poucos seu próprio caminho. “Sem saberem da minha origem, clientes comentavam comigo o quanto a Tintas MC se mostrava diferente das lojas concorrentes. O vanguardismo da empresa estava no fato de não ser um depósito, como muitos na época, e sim um local com uma grife, o que agregava valor ao produto”, explica.

Aos poucos subiu de cargo, aprendeu com seus erros, superando seus limites e desenvolvendo uma percepção cada vez maior do desafio de ser herdeiro de uma empresa a frente do seu tempo. Após sete anos percorrendo cargos operacionais, Renato assumiu um cargo de liderança.

Mas a história não acaba assim. Apesar de herdeiro, Renato não estacionou em uma zona de conforto e, por isso, 15 anos depois de entrar na empresa do pai, foi atrás do próprio negócio, queria fazer diferente, pensava de outra forma. O pai o apoiou, virou seu mentor e conselheiro. Renato abriu sua própria distribuidora de tintas e seu status mudou de herdeiro para empreendedor. “Com 31 anos decidi provar meu potencial empreendedor e precisava alçar voo solo: abri minha própria empresa e convidei dois amigos para serem meus sócios”, revela Renato.

Sem dinheiro suficiente, mas com experiência de mercado, ele logo conseguiu aliados e não teve dificuldades em se aproximar de fornecedores. Longe da empresa da família, mas sempre com o apoio de seu pai Amilcar, montou a Distribuidora Premium, com atuação no atacado e na venda de materiais de construção. Com o slogan “A diferença é o nosso desafio”, depois de quatro anos, a empresa já era reconhecida no mercado como a maior distribuidora de tintas do Brasil.

De volta para casa

Dez anos tinham se passado e Renato comemorava o sucesso da Premium, quando o pai o chamou para assumir uma posição estratégica na Tintas MC. Renato resolveu voltar e decidiram em outubro de 2015, criar o Grupo Aliar, holding detentora das duas marcas (Premium e Tintas MC). Com Renato assumindo posto de Diretor de Estratégia e Marketing da Tintas MC, iniciou-se um ciclo de expansão com processo gerencial em três diferentes frentes: aquisição de lojas, abertura de lojas próprias e expansão via franquias.

Atualmente, após a incorporação do Grupo Aquarela Tintas, que marca a expansão para o interior de São Paulo e a entrada em Minas Gerais, a holding Aliar conta com 300 colaboradores. A proposta de Renato é trazer inovação para a tradicional empresa de 53 anos de idade, bem como diversificar as opções em tintas imobiliárias e industriais, acessórios para tintura e repintura automotiva. As lojas comercializam as principais marcas como Suvinil, Coral, Sherwin Williams, Tigre, Norton, Exin, entre outras.

E a expectativa é ambiciosa – encerrar o ano faturando R$ 170 milhões e aproximadamente 100 lojas em operação. “Tínhamos uma atuação mais regional, centralizada em São Paulo, Guarulhos, ABC e Baixada Santista. A partir da incorporação do Grupo Aquarela Tintas, expandimos o nosso nome para outros estados do Brasil, com a missão de manter o crescimento aquecido nos próximos anos, mesmo em tempos de crise. A ideia é sextuplicar a quantidade de lojas abertas até 2023 e passar dos R$ 400 milhões”, revela Renato Sá que faz questão de lembrar: “O grande trunfo para atingirmos esta marca está na tradição do bom atendimento de balcão das lojas Tintas MC”, finaliza.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.