Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Maioria dos consumidores pretende utilizar 13º para pagamento de dívidas

redacao 24/10/2012
redacao 24/10/2012

Assim como ocorreu nos anos anteriores, a grande maioria dos consumidores (61%) pretendem utilizar o 13º para o pagamento de dívidas já contraídas (aumento de 1,67% sobre 2011). Isto demonstra que a redução da atividade econômica e inflação mais elevada elevaram o endividamento dos consumidores. Os dados foram apurados pela Pesquisa Anefac de Utilização de 13° Salários de 2012.

De acorco com o coordenador do estudo, Miguel José Ribeiro de Oliveira, houve redução de 5,88% de 2011 para 2012 no número de consumidores que pretendem utilizar o 13º para a compra de presentes, demonstrando maiores dificuldades e preocupações dos consumidores com os gastos neste ano. “Como vem ocorrendo todos os anos a grande parte dos consumidores (mais de 70%) têm dívidas contraídas no cheque especial e no cartão de crédito e pretendem utilizar ao recursos do 13º salário para regulariz estas situações”.

A pesquisa demonstra que houve uma redução de 5,41% na quantidade de consumidores que possuíam dívidas com o cheque especial. E que o cartão de crédito é a linha de crédito com maior peso na composição das dívidas em aberto dos consumidores tendo atingido em neste ano 40% do total (crescimento de 2,56% sobre 2011) contra 35% do cheque especial (redução de 5,41% sobre 2011).

Maior cautela e redução de gastos

“Assim como ocorreu em 2011 neste ano os produtos que mais vão atrair os recursos do 13º salário serão: eletroeletrônicos com 75%, celulares com 74% e roupas 68%”, diz Miguel Ribeiro de Oliveira. Diversos segmentos de compras – relata –  apresentaram uma redução na intenção de gastos dos consumidores (brinquedos, linha branca e informática)  demonstrando uma maior cautela e redução de gastos dos consumidores seja por conta de um ano de 2012 um pouco mais difícil (crescimento menor, inflação maior) seja por conta do cenário externo (notícias ruins da economia internacional e seus reflexos no Brasil).

A redução de compras de brinquedos que vem ocorrendo há três anos pode ser atribuída à mudança de hábitos de consumo deste público que vem preferindo cada vez mais produtos eletrônicos e celulares, avalia o coordenador de estudos econômicos da ANEFAC. “A pesquisa demonstra claramente a preocupação dos consumidores com seus gastos neste ano conforme apontado na Parte I deste trabalho,  aonde os consumidores pretendem reduzir o volume de seus gastos neste Natal.

Mais: há aumento no número de consumidores que pretendem gastar valores menores neste Natal e uma redução nos que pretendem gastar os maiores valores:

– Em 2012, 76% dos consumidores pretendem gastar no natal até R$ 500,00, contra 72% em 2011.

– Em 2012 24% dos consumidores pretendem gastar no Natal mais de R$ 500,00 contra 28% e, 2011, redução de 14,29%.

Assim, as maiores elevações com crescimento de 8,33% de 2011 para 2012 se deu entre os consumidores que pretendem gastar entre R$ 100,00 e R$ 200,00, seguindo-se daqueles que pretendem gastar entre R$ 200,00 e R$ 500,00 com um crescimento de 5,41%.

Já as maiores reduções – com queda de 33,33% – se deu entre os consumidores que pretendem gastar entre R$ 2.000,00 e  R$ 5.000,00, seguindo-se daqueles que pretendem gastar entre R$ 1.000,00 e R$ 2.000,00 com uma queda de 20,00%. Estes fatos podem ser atribuídos à piora da economia em 2012, segundo Miguel Ribeiro de Oliveira.

Pagamentos com recursos próprios

A pesquisa da ANEFAC apurou ainda aumento de 1,32% no número de consumidores que pretendem utilizar recursos próprios para as compras de natal e uma redução de 5,56% no número de consumidores que deverão utilizar cheques pré-datados. De qualquer forma a grande maioria dos  consumidores (80%) estarão utilizando cartões de crédito para as compras de natal.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.