Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Mais de 100 atividades associadas ao turismo também lucram com Copa

redacao 19/04/2011
redacao 19/04/2011

Números de estudo do Sebrae revelam que há 117 atividades com potencial para que pequenas empresas possam empreender

A Copa de 2014 será uma excelente oportunidade para empresários e empreendedores de setores e segmentos não relacionados diretamente com a realização dos jogos. Este é um dos nove setores da economia em que o Sebrae está trabalhando para identificar oportunidades de negócios e capacitar pequenas empresas. No campo da produção associada ao turismo, as circunstâncias favoráveis serão muitas e vão abranger várias modalidades de serviços, produtos, atividades, profissionais, vocações e talentos.

Produção Associada é o conceito adotado pelo Ministério do Turismo e Sebrae para definir segmentos, atividades e serviços que agregam valor aos produtos turísticos, como artesanato, manifestações culturais, gastronomia e atividades artísticas e esportivas.

O ‘Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede’, encomendado pelo Sebrae à Fundação Getúlio Vargas (FGV), levantou 117 atividades, de diversos ramos econômicos, nos quais as pequenas empresas terão relevante papel e serão beneficiadas diretamente em termos de negócios, geração de empregos, desenvolvimento e consolidação no mercado.

O levantamento também aponta as vulnerabilidades e desafios da produção associada a serem enfrentados para elevar a qualidade do turismo brasileiro e dos serviços a oferecidos aos turistas e torcedores da Copa 2014. “Esse mapeamento será referência para o processo de aceleração da qualidade e da inovação dos produtos e serviços das pequenas empresas, antes, durante e depois da Copa”, ressalta Vinicius Lages, gerente de Serviços do Sebrae.

Economia criativa

Entre os temas e ramos econômicos que se destacam na produção associada em turismo se destaca a economia criativa. Carnaval, artesanato, manifestações culturais, produtos alimentícios regionais, atividades artísticas e esportivas e outras áreas vão criar boas oportunidades para pequenas empresas na Copa 2014.

Produtos alimentícios regionais, desenvolvidos por agroindústrias e setor agropecuário, constituem outro bom exemplo. Vinhos, cachaças e frutas tropicais são itens típicos de diferentes regiões brasileiras que deverão ser inseridos nos produtos turísticos da Copa.

Turistas estrangeiros gostam de experimentar e descobrir novos sabores nos destinos visitados. Esses itens podem gerar produtos turísticos, como visitas a alambiques, vinhedos e plantações de frutas. Ainda em termos degustativos, merecem destaque as castanhas, o guaraná, o açaí e a erva mate, cujos cultivos, processos de coleta e embalagem envolvem comunidades em diferentes regiões.

As manifestações culturais também estão entre as maiores agregadoras de valor ao turismo e terão esse papel nas 12 cidades-sede. Elas envolvem espetáculos de artes cênicas, circenses, dança e música, e geram negócios e trabalho para produtores culturais, artistas, profissionais e trabalhadores dos setores técnico e artístico.

Até a moda pode ser um elemento interessante da produção associada. Em Belo Horizonte, estão sendo montados roteiros baseados em visitas a ateliês e grifes da moda mineira. Desfiles vão integrar esse novo produto turístico da capital de Minas Gerais, idealizado para encantar os turistas da Copa de 2014.

Serviços de captação de recursos para realização de eventos e produção de vídeos também serão bastante demandados, especialmente antes do megaevento esportivo. Produtores culturais e cineastas compõem importante segmento da economia criativa.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.