Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Medo do chefe faz mal à saúde; veja causas do sentimento

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

A palavra "chefe", em si, carrega um simbolismo muito forte. Em um passado não muito distante, chefe era aquele que gritava, humilhava e rasgava cópias de projetos. Fazia tudo isso em nome da ordem na casa. Eram os resquícios do fordismo, segundo o qual os funcionários de uma empresa não precisavam "pensar", apenas operar e produzir muito.

Os tempos mudaram. Hoje, com o acirramento da competitividade nas empresas, os profissionais passaram a ser chamados de talentos e os empresários se deram conta da importância do capital intelectual para sobreviverem. É o fim das humilhações. Será? Não. Muitos ainda têm medo do chefe e líderes que não nasceram para liderar preferem exercer o cargo à moda antiga.

O chefe durão
"Tem chefe que é durão porque teme que alguém venha a ocupar seu cargo, o que é besteira. E pessoas assim fazem mal aos funcionários. Tudo que é simples toma uma dimensão desproporcional", afirma o sócio da consultoria de processos seletivos Steer Recursos Humanos, Ivan Witt. "Pode ser que alguns chefes tenham essa postura porque obtiveram resultados positivos no passado, então tendem a pensar que o sucesso está ligado a esse tipo de comportamento".

O resultado é negativo para o funcionário, que deixa de ser participativo. "Se o chefe dá cinco tiros toda vez que alguém fala, então como alguém se disponibilizaria para dar sua opinião?", questiona Witt. Além disso, o profissional não consegue ser produtivo em ambientes nos quais se sente hostilizado. "Em ambientes favoráveis, erros também acontecem, mas são vistos como oportunidades para melhorias".

Se o profissional já tentou conversar com o chefe a respeito do problema, mas não conseguiu, deve começar a procurar outro emprego antes que apareçam as doenças psicossomáticas (causadas por sentimentos negativos como o estresse e a tristeza). É o caso da gastrite e das alergias, por exemplo.

Quando medo não é real
O especialista em Carreiras alerta que é normal que os líderes façam observações daquilo que não saiu a contento. "Afinal, ele é responsável pelo trabalho de todos que reportam a ele e deve ser atendido da melhor maneira possível. Não conheço chefe que não gosta de bons resultados".

"O que causa estranheza é a barreira do medo, a qual nem sempre é imposta pelo chefe. Muitas vezes, as próprias pessoas criam uma percepção de medo. Pode ser que tenham tido um histórico negativo no que se refere a chefes, mas não significa que todos os líderes sejam injustos", pondera Witt. "Antes, os chefes colocavam suas opiniões à força. Hoje, não tem mais espaço para isso. Pessoas com esse estilo de liderança estão fadadas ao fracasso".

Então, fica o recado: antes de temer o chefe, achar que será demitido, ou ter receio de dar suas opiniões, reflita sobre o fundamento desse sentimento, o medo.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.