Melhorias ajudam pequenos negócios a lucrarem na Copa do Mundo

redacao 05/11/2013
redacao 05/11/2013

Sebrae acompanhou micro e pequenas empresas durante a Copa das Confederações e destaca perspectivas para o mundial

Durante os jogos da Copa das Confederações, o Sebrae acompanhou de perto o desempenho das empresas em três cidades-sede – Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE) e Belo Horizonte (MG) – para diagnosticar a performance dos pequenos negócios durante o evento esportivo. O levantamento identificou pontos fortes nos centros de artesanato e nos centros gastronômicos, como a valorização da identidade local, mas ainda restam alguns pontos de melhoria a serem trabalhados, visando às oportunidades de negócio na Copa 2014.

Entre os principais pontos críticos identificados pelo Sebrae durante a Copa das Confederações estão a falta de sinalização externa do negócio com placas, acessibilidade para pessoas com deficiência, inexistência de tabelas de preço ou menu em outros idiomas, ausência de identidade visual da marca e ações sustentáveis. como coleta seletiva e adoção de programas de resíduos sólidos. “O fluxo de visitantes entre as cidades-sede do Mundial pode gerar uma série de oportunidades. Por isso, estamos atentos e queremos construir boas alternativas para que as empresas façam negócios e se tornem mais competitivas”, ressalta o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

De um modo geral, as regiões observadas no Rio de Janeiro – Rio Antigo, Grande Tijuca, Maracanã e Container da Praça Sans Peña  – apresentaram bons resultados nas questões ligadas à segurança e saúde como, por exemplo, a manipulação adequada dos alimentos. A diversificação do portfólio de produtos e serviços, distribuição e entrega, também foram bem avaliados.

Já para os itens ligados à comunicação e ao atendimento ao cliente, os resultados foram insuficientes (de 0 a 100 pontos, esses quesitos ficaram abaixo dos 50). Divulgação do negócio por meio de panfletos, ações de marketing ou sites, promoção e estratégias de fidelização do cliente foram identificados pelos observadores como pontos a serem melhorados. Na apresentação dos cardápios e tabela de preços, por exemplo, é baixo o número de empresas que apresentaram design inovador e cardápio em vários idiomas.

O local visitado com maior pontuação nos quesitos avaliados foi a região do entorno do Maracanã, que se destacou pela sinalização externa, acessibilidade, exposição e diversificação de produtos. Mas, ainda existem pontos de melhoria como as questões relacionadas aos preços, que ainda são altos em relação à comercialização em outros pontos fora da arena, promoções e estratégias de fidelização do cliente. Aliás, esses aspectos negativos também foram observados nos demais pontos cariocas – Rio Antigo, Grande Tijuca, Container.

Para aproveitar as oportunidades oferecidas pelos grandes eventos, o empresariado precisa investir mais em soluções de design nos cardápios, bem como tradução bilíngue dos pratos. Soluções voltadas para vitrinismo e layout das lojas, a fim de chamar a atenção dos clientes, são outros investimentos necessários que já foram, inclusive, aplicados pelo Sebrae nos circuitos gastronômicos que trabalham com divulgação e promoção da cachaça, integrando na cadeia da gastronomia como um produto de forte brasilidade.

“Agregar valor aos produtos com aspectos relacionados à identidade local e ações de fidelização do cliente, como investir na criação de um passaporte que o consumidor possa utilizar em outros estabelecimentos do Rio, podem ajudar a fomentar ainda mais o sucesso dos pequenos negócios”, sugere Barretto.  

Ações de sucesso

De olho nas oportunidades geradas pela integração e combinação de diversos segmentos econômicos, o Sebrae desenvolveu ações que foram aplicadas com sucesso durante a Copa das Confederações. Nos circuitos gastronômicos do Polo Novo Rio Antigo e da Grande Tijuca (Praça da Bandeira, Maracanã, Tijuca, Vila Isabel e Grajaú), mais de 50 restaurantes valorizaram e fomentaram a cultura local ao divulgar serviços e produtos feitos genuinamente por empresas fluminenses durante a Copa das Confederações. Os pratos, por exemplo, foram harmonizados com uma cachaça artesanal do estado.

A iniciativa não só ajudou os empresários a se prepararem para os próximos grandes eventos esportivos, como apresentou bons resultados. Os 53 restaurantes participantes tiveram um aumento médio de 18% de faturamento. Além disso, oito alambiques do estado do Rio de Janeiro começaram a vender seus produtos diretamente para os restaurantes.

Cidades-sede

Em Recife, a pesquisa do Sebrae destacou os bons resultados obtidos pelos empresários que apostaram na produção artesanal. O Quiosque no Shopping Rio Mar e o Centro de Artesanato, localizado ao lado do Marco Zero que integra ações de comércio, artesanato e gastronomia, mostraram-se ótimos pontos de comercialização dos produtos artesanais.

Na Casa da Cultura, no entanto, é preciso ainda despertar os operadores de receptivo local para que possam expandir a base de visitação, criando “corredores” para integrar o Marco Zero, que realiza vários eventos durante todo o ano. Além disso, o estudo elaborado pelo Sebrae aponta a importância de os pequenos negócios produtores de cachaça investirem, assim como feito no Rio de Janeiro, em parcerias com hotéis e restaurantes para viabilizar a divulgação e promoção de cachaça em Pernambuco.

Já em Belo Horizonte, segundo o levantamento do Sebrae, os pequenos negócios devem investir nas áreas de grande fluxo e interesse de visitantes nacionais e estrangeiros, focando em produtos que ressaltem os aspectos culturais e a identidade do estado. A Praça da Estação e o Mercado Central devem ser cada vez mais incluídos pelos operadores de receptivo local nas áreas de visitação indicadas aos turistas. Algumas lojas precisam ainda de melhorias no layout, oferecer meios eletrônicos de pagamento e incluir atendimento aos clientes em outros idiomas.

De olho na Copa

As empresas que querem aproveitar as oportunidades para a Copa do Mundo da FIFA 2014 podem conhecer as ações que o Sebrae desenvolve no portal www.sebrae2014.com.br, por meio do atendimento presencial nas unidades espalhadas pelo Brasil ou ainda por telefone 0800 570 800.

A instituição conta com aproximadamente cem dicas/ideias que podem fortalecer negócios já existentes dos dez segmentos, com oportunidades identificadas para os eventos esportivos; Sistema de Inteligência Competitiva que veicula alertas, clippings, boletins, respostas técnicas, cenários de projeções setoriais; ambiente de aproximação comercial na Central de Oportunidades e encontros e Rodadas de Negócios realizadas pelas 12 unidades estaduais do Sebrae.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.