Mercado brasileiro de cartões cresce 20% no segundo trimestre de 2012

redacao 12/09/2012
redacao 12/09/2012

Segundo levantamento da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), o mercado de cartões de crédito, débito e de rede/loja no Brasil registrou R$ 191 bilhões de faturamento no segundo trimestre de 2012, alta de 20% em comparação com o mesmo período de 2011. Com o resultado, o setor mantém o ritmo de crescimento dos últimos anos, sustentado principalmente pela entrada de novos consumidores no sistema financeiro e pela expansão da aceitação de cartões em nichos não tradicionais. Esses fatores permitem que os cartões sejam cada vez mais usados no dia a dia do brasileiro, em substituição aos demais meios de pagamento.

Quando avaliadas separadamente, as modalidades de cartão registraram os seguintes valores de faturamento: R$ 111 bilhões em cartões de crédito, com crescimento de 20%; R$ 56,5 bilhões em cartões de débito, com alta de 23%; e R$ 23,5 bilhões em cartões de rede/loja, 16% a mais do que o registrado no segundo trimestre de 2011. O número total de transações foi de 2,3 bilhões, aumento de 16%. Nesse quesito, o crescimento por modalidade foi de 14% em cartões de crédito, 19% em cartões de débito e 12% em cartões de rede/loja, totalizando, respectivamente, 948 milhões, 959 milhões e 400 milhões de transações.

Quanto ao número total de plásticos em circulação no Brasil, o final do segundo trimestre registrou 718 milhões de unidades, crescimento de 9% em relação ao mesmo período do ano passado. As quantidades por modalidade e os respectivos crescimentos foram de: 183,5 milhões (13%) de cartões de crédito, 275,5 milhões (7%) de cartões de débito e 259 milhões (9%) de cartões de rede/loja. Houve também leve incremento no tíquete médio das operações, de 4%.

Outro fator que continua contribuindo para o crescimento do faturamento de cartões de crédito é o aumento dos gastos dos brasileiros no exterior. O valor total de compras feitas com esse meio de pagamento em outros países foi de R$ 6 bilhões no segundo trimestre do ano, o que representa um crescimento de 22% ante o mesmo período de 2011. O resultado pode ser atribuído à valorização da moeda nacional em relação ao dólar e ao aumento do emprego e do poder aquisitivo do brasileiro. Já o valor gasto por estrangeiros no Brasil, nesses três meses, foi de R$ 2,2 bilhões, aumento de 20%.

Por região e ramo de atividade

No segundo trimestre do ano, a região Sul foi o destaque no crescimento do valor transacionado com meios eletrônicos de pagamento – tanto cartões de crédito (alta de 24%) quanto cartões de débito (alta de 30%). No quesito “cartão de débito”, Porto Alegre (RS) registrou crescimento acima da média da região, com 33%. Vale destacar, ainda nessa modalidade, o desempenho das regiões Norte e Nordeste, que cresceram 24% no período.

Em relação aos ramos de atividade, é possível notar a continuidade de ampliação da aceitação dos cartões em nichos não tradicionais. Em faturamento de cartões de crédito, o crescimento foi maior para Setor Primário, Indústria e Serviços Básicos (31%), que contempla segmentos como educação, saúde e utilities, Demais Comércios Atacadistas e Varejistas (30%), que inclui comércio atacadista e materiais de construção, e Outros Serviços e Profissionais Liberais (29%), que abrange médicos, advogados, TV por assinatura, taxistas e chaveiros, entre outros. Em faturamento de cartões de débito, os crescimentos mais acentuados foram em Setor Primário, Indústria e Serviços Básicos (36%) e Demais Comércios Atacadistas e Varejistas (30%).

Sobre a Abecs

A Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) é uma entidade sem fins lucrativos, que, desde a sua criação em 1971, atua em prol da expansão sustentável do mercado de meios eletrônicos de pagamento no Brasil. Seu quadro associativo corresponde a 95% do setor e reúne os principais players, entre emissores, credenciadoras, bandeiras e processadoras. As atribuições e prerrogativas da entidade incluem o desenvolvimento e a implantação do Código de Ética e Autorregulação, que estabelece as normas éticas que norteiam as relações de suas associadas com a sociedade. Com vistas ao crescimento sustentável do contingente de portadores, a Abecs mantém um programa de educação financeira voltado para o usuário final dos meios eletrônicos de pagamento.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.