Mercado futuro precifica aumento da Selic

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

Os últimos meses têm sido bastante agitados para os mercados domésticos. Além de o ambiente internacional instável – dada à percepção de que o quadro financeiro e macroeconômico global está se deteriorando -, a preocupação com a inflação brasileira contribui para o aprofundamento do clima de apreensão. Diante de um quadro de incertezas os agentes financeiros já dão como certo um aperto monetário no decorrer dos próximos meses, pelo menos, é o que revela o aumento expressivo nas taxas praticadas no mercado futuro.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2010, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), apontava juro anual de 13,20%, ante 13,19% da véspera. No final de fevereiro a taxa era de 12,45% ao ano. O gerente de renda fixa do banco Prosper, Carlos Cintra, ressalta que a atividade econômica deverá continuar crescendo fortemente pressionando a inflação e, com isso, o colegiado do Banco Central deve tomar uma posição mais firme ao longo deste ano. "As chances de um aumento na Selic crescem dia a dia", diz. "Acredito que quanto mais cedo o comitê começar esta elevação, será melhor para a economia brasileira em 2009, pois a preocupação é de que a inflação seja uma tendência de alta, ameaçando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do próximo ano", acrescenta.

Na véspera, os agentes financeiros ficaram animados com as possíveis medidas cogitadas pelo governo de reduzir o prazo de financiamento para compra de veículos, no entanto, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, esclareceu na noite de ontem que não existe nenhuma medida em estudo para conter a velocidade do crédito. Porém, ele admitiu que está preocupado com o aumento do crédito para setores como indústria automotiva, siderúrgica e cimentos. "Apenas existe a preocupação para que aconteça (crescimento econômico) com equilíbrio", disse o ministro. Diante deste esclarecimento, os agentes financeiros voltaram a precificar uma elevação na taxa Selic de 0,25 ponto percentual na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) agendada para o dia 15 e 16 de abril. Atualmente, a taxa Selic está em 11,25% ao ano.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.